Conheça as mulheres que ganham mais de R$ 6.000,00 de Bolsa Família por ano em Irecê

Na última semana do ano de 2015 fui à cidade de Central, que, dista uns trinta quilômetros de Irecê. No trajeto à Central, o meu amigo Fernando quis argumentar sobre a importância da ajuda que o governo concede aos pobres da região. Quis e insistiu na afirmação de que, a cidade e a região de Irecê é carente e dependente dos recursos do governo federal. Segundo a opinião e ótica dele, a nossa cidade e região, só tem sobrevivido a situação por causa, na ordem abaixo listada:

  1. Salários dos aposentados, por meio do qual, é injetado mensalmente milhares de reais;
  2. Bolsa família, por meio do qual, é injetado mensalmente outra quantidade de reais;

Eu discordei, pois, é uma visão pobre e distorcida da nossa cidade e de nossa região. Porém, é esta visão que políticos de esquerda espalham na cidade e na região, com o fim último de reforçar a dependência da região dos recursos federais, bem como, reforçar a necessidade de continuar a votar na corja que está no poder, como que, se deixarem de votar nesta gente, fosse o último prego do caixão de nossa região.

Nada mais falso e mentiroso. A força motriz econômica da cidade e da região não depende exclusivamente do dinheiro dos aposentados, tão pouco, a cidade e a região é tão dependente do recursos do bolsa família.

É falsa a informação de que dependemos exclusivamente dos rendimentos dos aposentados. Faço trabalho para, pelo menos cinco empresas ligadas ao ramo do empréstimo consignados, e a constatação é de que a classe operária aposentada da região está com pelo menos 35% de sua renda comprometida com diversos empréstimos.

E, pior! Não pagam os empréstimos tomados, e vivem renegociando as dívidas, refazendo empréstimos. Estão endividados, e, outra! Por esta realidade, grande parte dos recursos, nem chegam a região, pois, são descontadas em folha por todos estes grandes bandos, digo, bancos, envolvidos no empréstimo consignado.

Quanto ao Bolsa família, bem, sobre isto posso garantir, que mês a mês, ao contrário do que se esperava, pensava e planejavam, a pobreza não diminui, só aumenta, ou, tem aumentado o assistencialismo. Catástrofe social e pobreza extrema em Irecê que justifique mais de oito mil famílias recebendo Bolsa Família, penso eu, não há.

Os últimos três meses a folha de pagamento do bolsa família em Irecê foram:


8191 famílias em novembro de 2015.


8266 famílias em dezembro de 2015.


8234 famílias em janeiro de 2016.

Milhares de brasileiros suspeitamos que o Bolsa Família não é mais necessário para combater a pobreza, e a extrema pobreza. É fato, que conhecemos pessoas que não necessitam do benefício e recebe, e há, os que necessitam e não recebem. O programa tornou-se mesmo assistencialista, paternalista e transferência de recursos com fins últimos de curral eleitoral.

A Caixa Econômica lista o nome das pessoas que tiveram o Bolsa Família liberado e que os pagou. No site da transparência, se pode obter os nomes das pessoas e os valores que elas receberam mensalmente e no ano. Eu cruzei os dados para saber quem são as famílias que mais recebem e quanto recebem, e quantos filhos tem cadastrado no sistema.

São dados públicos e disponibilizados pelos órgãos e entes governamentais. Eis abaixo, a imagem com as 15 (quinze) beneficiárias mais bem remuneradas pelo Bolsa Família de Irecê no ano de 2015.


Acima está o quanto cada uma destas pessoas receberam do Bolsa Família de Janeiro a Novembro de 2015. A primeira da lista recebeu R$ 617,00 mensais, ai, me bateu a curiosidade para saber quantos filhos esta pessoa tem listado no Cadastro e fui na lista de beneficiários da Caixa Econômica e eis abaixo a listagem:


Maria Zélia teve gêmeos. Aliás, gêmeos na listagem do Bolsa Família, se for verdade, Irecê é um caso de investigação cientifica, para saber por que nasce tantos gêmeos por aqui.

Próxima!


Maria Aparecida não tem nada de mais. Apenas e tão somente gostaria de entender a mistura que há nos nomes das crianças, e, posso deduzir que são filhos de pais diferentes, então, nomes diferentes. E, sim! Ela tem seis filhos. Quem é que confere? A terceira no entanto, é mais do que curioso. Segundo os registro do Bolsa Família, esta senhora teve filho quatro meses após ter parido. Eis abaixo os dados.


A senhora Clemides não tem gêmeos! No entanto, teve o primeiro filho aos 39 anos. Aos 43 anos teve um filho no mês de abril e 125 dias ou quatro meses depois, teve outro filho. Não te deixou impressionado? Ela repetiu o feito! Em 2006 no mês de abril teve um filho. Seis meses depois teve outro. E finalmente em 2010, aos 49 anos de idade teve seu último filho. Exceto, se ela for a avó destas crianças. (???) Se isto não te admira, espanta ou desperta suspeitas, bem, há registros no arquivo de mulheres do ano de 1931, 1932, 1939 tendo filhos com mais de 60 (sessenta) anos, aliás, a que nasceu em 1931 segundo os dados teve filho aos 69 anos de idade. Que assombro!

Valdirene teve gêmeas.


Este caso abaixo apontado eu não sei entender ou não sei uma explicação. Veja por você e se tiver uma ideia me explica!


Eu deduzo que ela tem oito filhos. Não sei o motivo da repetição de Maria Cecilia e de Maria Heloiza. No entanto, se sabe que são gêmeas.

Você pode pesquisar no seu município e constatar por você mesmo como é que o Bolsa Família é utilizado. Há muito tempo que esta coisa deixou de ser um programa de assistência social, de amparo e combate à pobreza e à extrema pobreza. Em uma hora de pesquisa e relacionamento de dados, sem utilização de software, sem cruzamento automático de dados, é possível fazer descobertas desconcertantes em relação ao Bolsa Família.

Nos exemplos acima citados, entre as pessoas que receberam mais de seis mil reais no ano de 2015, a renda mensal destas famílias, apenas do Bolsa Família quase se equipara a de um trabalhador que ganha salário mínimo na carteira, afinal, a diferença é de apenas R$ 108,00 (cento e oito reais). Para um trabalhador tal realidade é desanimadora, pois, percebe-se que o indivíduo que é assistido pelo programa do governo, sem nada fazer, tem renda equiparada à sua que dedica horas diárias, semanais, mensais, e tem que seguir horário, bater ponto, seguir regras, pagar sindicato, INSS, FGTS, e tudo mais. Desanima mesmo tal situação. A impressão que fica, é que, se valoriza mais estas pessoas em detrimento a estas outras.

Finalizando, e retornando ao inicio do texto, meu amigo insistiu para que eu entendesse que este é o melhor caminho: o Estado sustentar estas pessoas pobres, necessitadas. Foi quando passamos por um senhor puxando um enorme carroça com produtos a serem reciclados. E, eu perguntei a ele:

– Você sabe quanto este homem ganha vendendo estes produtos?

Ele quis sair pela tangente puxando o papo da dignidade, da insalubridade, dos perigos de materiais perfurantes, cortantes, a contaminação, e que não era uma atividade salutar…

– Tá! Mas, quanto é que ele ganha ajuntando materiais reciclados? Por que ele prefere catar lixo nas ruas a ser assistido pelo governo?

Ele ficou espantado em saber que um sacolão de latinhas de cervejas quando vendidos nas recicladoras chegam ao valor de cerca de 150,00 e que muitos catadores ajuntam mais de três sacolões por semana, o que, lhes confere renda semanal que até ultrapassa o valor do maior bolsa Família pago em Irecê em 2015.

O catador que passava aqui em nossa rua, disse-me, que prefere ajuntar lixo a depender do governo, que, somente gente preguiçosa – nem todos evidentes – é que insistem em ser assistidas pelo governo. Disse mais! Eu não tenho estudo “seu menino”, mas, ganho o suficiente para pagar minhas contas, comprar tv boa, ter computador em casa, tudo comprado no carnê do Armazém Paraíba; tudo pago com o suor de meu rosto, catando lixo que vocês jogam fora.

Para concluir minha argumentação disse a ele: hoje Nando, pessoas sobrevivem até do lixo que descartamos, e vivem com dignidade, hombridade, trabalho, suor e determinação. Já estamos em uma época, que, quem não saiu da extrema pobreza, bem, eles necessitam de apoio, mas, não do Bolsa Família. Não mais!


“Sr. Lula: Meu voto nas urnas em 2014 não será a absolvição de vossos amigos, companheiros, aliados, partidários e asseclas. “

Faz alguns minutos que li este texto no site do Terra: Reeleição de Dilma será a resposta do PT às prisões do mensalão. Não estou inventando. Eis o link ai, bem como uma imagem printada do texto. A marcação no texto fui eu quem fiz.

inocentar-mensaleiros

Eu tenho amigos que defendem o Lula como um cão defende seu osso. Ainda que ache abjeto, respeito o direito de cada um ter opinião, expressão, filosofia que quiser e que tem.

Se depender de mim, no entanto, o voto que vou depositar nas urnas, até o PT estará condenado. Afinal, não me é aceitável que todos do núcleo do partido, os grandões, os líderes, os chefões estão condenados, e o Lula, que era o maioral deles todos está inocentado. Há algo errado na lógica. Falta provas. Falta uma confissão. Mas, Lula prometeu falar coisas sobre o tema que ainda não foi falado. Talvez resolva dizer: eu menti. Eu sabia de tudo. Como ele tem afirmado de outros homens da política.

Bem! Para os brasileiros de forma geral, se é assim Lula, os condenados pela suprema corte, também serão condenados pelo meu voto. Este senhor continua sendo o que sempre foi. E esta sua fala, esta sua ideia é mais uma de suas destrambelhada e errada ideia sobre a democracia, sobre o voto, sobre o povo brasileiro, que por sinal, parece pensar ser ele o dono.

Quer dizer ele, que, se a Dilma for reeleita, não será por ela ter governado bem. Se Dilma for reeleita, não será por que tenha seguido as regras; se Dilma for reeleita, não será por seu trabalho na administração do país: Segundo Lula, se Dilma for reeleita, será uma resposta do povo indignado contra a condenação dos corruptos do PT.

Por outro lado, Lula já estará admitindo, que se Dilma não for reeleita, será também a indignação do povo contra os condenados. Será a resposta do povo à corrupção que não cessa neste país.

Nas próximas eleições, além de não reeleger Dilma, já tenho outra motivação: Confirmar a condenação dos corruptos mensaleiros. Mas, sei, que isto não tem relação de causa e efeito nas eleições. Meu voto será para eleger um candidato, não para inocentar ou condenar os mensaleiros.

Tome prumo e rumo Sr.. Lula! Nas urnas, nós votamos em candidatos, nós não inocentaremos seus companheiros, seus amigos, seus aliados, sem asseclas, seus partidários. Não é assim que funciona o sistema eleitoral.

Diferenças entre inteligentes e ignorantes com iniciativas!

Não é um texto inédito. Eu já o havia recebido antes. Mas, esta versão do texto foi ligeiramente modificado para as eleições municipais que ocorrerão daqui a alguns dias. Eu reproduzo abaixo.

Dizem que Napoleão Bonaparte classificava seus soldados em quatro tipos:

  1. Os inteligentes com iniciativa;
  2. Os inteligentes sem iniciativa;
  3. Os ignorantes sem iniciativa e
  4. Os ignorantes com iniciativa.
  • Aos inteligentes com iniciativa, Napoleão dava as funções de comandantes gerais … estrategistas.
  • Os inteligentes[bb]sem iniciativa, Napoleão deixava-os como oficiais para receberem ordens superiores … para cumpri-las com diligência.
  • Os ignorantes sem iniciativa, Napoleão os colocava na frente da batalha[bb]buchas[bb]de canhão, como dizemos.
  • Os ignorantes com iniciativa[bb], Napoleão os odiava e não os queria em seus exércitos.

 

  1. Um ignorante com iniciativa é capaz de fazer besteiras enormes e depois dissimuladamente, tentar ocultá-las.
  2. Um ignorante com iniciativa faz o que não deve, fala o que não deve, até envolve-se com quem não deve e depois diz que não sabia.
  3. Um ignorante com iniciativa faz perder boas ideias, bons projetos, bons clientes, bons fornecedores, bons homens públicos.
  4. Um ignorante com iniciativa produz sem qualidade, porque resolve alterar processos definidos e consagrados.
  5. Um ignorante com iniciativa é, portanto, um grande risco para o desenvolvimento e o progresso de qualquer empresa e governo.
Não precisamos deles, nem Napoleão os queria. Você identifica em sua vida, em sua empresa e no governo os quatro tipos de soldados de Napoleão? E o que faz com cada tipo?

Você sabe livrar-se dos ignorantes com iniciativa? Faltam meses para as eleições municipais!

Este é o momento certo de aprender a fazer tais diferenças.

[lomadeewpro category=’3482′ keywords=’politica, tucanos, petralhas, partidos, eleições’]

Dilma, o PIB e as crianças e o salário mínimo!

[lomadeewpro category=’3673′ keywords=’brastemp, consul, roupas, agasalhos’]

Andei lendo por ai que a presidente Dilma disse o seguinte:

Uma grande nação deve ser medida por aquilo que faz pelas suas crianças e seus adolescentes. Não é o Produto Interno Bruto, é a capacidade de o país, do governo e da sociedade, de proteger o que é o seu presente e o seu futuro, que são suas crianças e seus adolescentes.

Não me surpreende em nada. Certamente ela sabe a importância do PIB, e pensa que todos os brasileiros irão acreditar no que ela disse. Certamente a pelegada irão repetir isto a exaustão até que se torne isto uma verdade.

Eu quero é ver uma grande nação conseguir cuidar de suas crianças, jovens e adolescente com Produto Interno Bruto pífio. Sem dinheiro, não se consegue melhorar o presente e preparar o futuro das crianças, jovens e adolescente.

Se, se procurar na internet iremos encontrar comentários e risos, bem como elogios e outra opinião da presidente[bb]em relação ao PIB, aliás, “O pibão foi bom!” – Foi esta a expressão em 2010. Cuidar das crianças[bb]é, em minha opinião, usada agora por não haver alvíssaras! Ou seja, não há recompensa[bb]alguma na noticias sobre o Produto Interno Bruto, então, é melhor criar um.

Nenhuma nação com PIB pífio conseguirá cuidar de suas crianças no presente, nem tão pouco, lhes conseguirão bom futuro[bb]. Anota a dica presidente, e relembre algo mais: o salário mínimo é calculado levando em consideração o PIB de dois anos antes e a inflação do ano anterior, ou seja, daqui a dois anos, se saberá o estrago para os trabalhadores do PIB pífio agora. E por tabela, afetará as crianças.

O Brasil vai avançando baseado nas greves e não nos méritos

[lomadeewpro category=’3671′ keywords=’brastemp, consul, roupas, agasalhos’]

Não me agrada ver as muitas categorias organizadas exigindo aumento de salário e exigindo condições outras para exercerem suas atividades. Existem greves por todo o território. E, tem sido assim que se tem conseguido melhores salários, melhores condições de segurança, melhores condições na saúde. As greves atendem, em parte, os servidores, não a população que não tem como exigir qualidade nos serviços, qualidade no atendimento, e melhoras na estrutura, nos equipamentos, e ambientes adequados ao atendimentos.

Não vejo, e não tenho visto, não tenho tido acesso a nenhum relatório que prove que as categorias atendidas em suas reivindicações tenham também contribuído com a melhora dos serviços, tenham tido influência na qualidade do ensino, da segurança, na qualidade da saúde, na qualidade da infraestrutura. Pelo contrário, é como escrevi sobre a greve dos professores na Bahia.

A sensação que se tem é que não adianta aumentar o salário de nenhum servidor público (municipal, estadual e federal) isto não fará com que as categorias se esforcem mais pela qualidade, nem tão pouco, teremos melhora no atendimento. Pois, diz por ai, que por estarem trabalhando em rotinas extremas e estressantes, os servidores não tem, nem mesmo a recompensa ou a ilusão de que no final do mês: terei um salários que satisfaça completamente minhas necessidades.

Pois bem! Eis que o Governo Federal fez proposta de melhorar os salários dos professores federais com doutorado.

“… o salário inicial do professor com doutorado e regime de dedicação exclusiva será de 8.400 reais. Os vencimentos dos docentes que já estão na universidade, com título de doutor e dedicação exclusiva, passarão de 7.300 reais para 10.000 reais.”

Mas, isto, a valorização profissional por meio de melhores salários não é suficiente. A categoria quer, além disso, diminuição das horas trabalhadas, mudanças no ambiente de trabalho, e outras exigências da categoria em greve. Eis o que um dos representantes da categoria disse:

“O que recebemos foram tabelas de reajuste salarial. Em nenhum momento, o ministério se propôs a rever as condições de trabalho do professor universitário”

Em minha opinião, é um absurdo. Um despropósito.  Pois, estão conseguindo, a cada dia melhores salários, fazendo reivindicações de condições de trabalho, menos horas pra isto, mais facilidades na execução de suas atividades, e, veja bem, SEM termos melhoras significativas na prestação dos serviços, sem retorno efetivo para a educação publica, segurança e saúde.

Sabemos que as condições de trabalho não são de excelência. Mas, também dobrar-se as exigências das categorias sempre que entrarem em greve não é uma boa ideia. Já está mais do que na hora de haver no Brasil planejamento, regras, leis e outras formas de regulamentar como e quais são os deveres e direitos dos servidores públicos. Penso que se existir leis e regulamentos que estabeleça os salários os incentivos de forma fixa, inviabilizará até mesmo movimentos grevistas.

Estabelecer regras de salários e direitos trabalhistas. Este cargo paga tanto por tantas horas trabalhadas semanalmente, com avaliações de qualidade, e em consequencia da avaliação mais tantos porcento de incentivos… e por ai. Eu sei, que a situação atual é IMPEDITIVA para a maioria dos professores. Sei que o governo paga o salário, as GEMAS (gratificações) e exige por exemplo, pontuação por participação em congressos, eventos, e outras coisas para se ter aumento e melhores salários. Mas, se eles terão que dar xis quantidade de aulas, mais xis quantidade de horas em horário para auxiliar os alunos, reuniões, etc e tal, onde é que estas criaturas irão conseguir meios de dedicar à carreira?

Entre as reivindicações da categoria é a diminuição de 17 para 13 os passos dentro da carreira. A reclamação é que pouquissimos deles atingem o teto. Ou seja, a reclamação é por mais facilidades na carreira. Querem que o governo facilite a ascenção dos níveis. Se por exemplo, para atingir o teto atualmente é exigido que se publiquem artigos, que se faça projetos, que se faça pesquisas, registrar inventos e patentes, estar relacionado entre os destaques de sua área, ter contribuído com a ciência e com o avanço da educação, ter participado de congressos, ter realizado isto e aquilo … NADA disso! O que parece é que, querem FACILIDADES na carreira.

Eu já critiquei aqui o GOVERNO FEDERAL[bb]em diversos textos com a precarização; já critiquei desde o governo Lula esta situação; Diversos textos em que afirmo que o que o Lula[bb]diz é uma coisa e o que existe é outra. A situação continua. Sei que o governo não faz o dever corretamente quanto as regras e as condições de trabalho dos servidores. Mas, longe também de concordar com o aumento[bb]salarial por meio das greves e dos movimentos[bb]sindicais. O nosso país está necessitado de regras, estatutos, regulamentação de salários, de cargos, de horas trabalhadas. As condições são estas! Você aceita?

Outros links sobre o assunto:

 

Por que não votar em Zé

[lomadeewpro category=’3606′ keywords=’hp, epson, samsung, xerox’]

No último texto recebi um comentário e um e-mail. O comentário está no blog o e-mail só irei comentar que a pessoa me aconselhou a não divulgar e escancarar minhas opiniões assim, pois, certamente eu serei prejudicado. E eu pergunto: mais do que já fui? Mais do que já fomos, como família, pai, esposo e cidadão? Então, para completar, escrevo agora os motivos pelos quais eu, minha esposa não votaremos em Zé das Virgens. Não votamos antes, não votaremos nas próximas eleições. O assunto das eleições já está na rua. Os pré-candidatos já estão declarados. As coligações, convites, farpas, adesismos, e tudo mais já podem ser visto na TV, nos rádios, e na Web.

Ontem ouvi uma conversa na praça em que uma das pessoas afirmou o seguinte: “Bateu o desespero em Zé, por que, tá rolando ai, uma pesquisa em que Luizinho tem 3% de vantagem. E a pesquisa não foi divulgada por que é negativa a Zé.” – A outra pessoa respondeu: “Mas, ele tem condições de reverter isto ai. Ele tá asfaltando as principais estradas dos povoados e isto, vai mudar o cenário“. O que provocou outra argumentação do senhor: “Aqui na sede é que decide. Aqui ele tá perdido!”

É o assunto nas redes sociais. Mas, eu não votarei em Zé por alguns motivos. E a maioria dos motivos tem relação com sua equipe de governo, como fui tratado por eles, como eles fizeram questão de perseguir, demonstrar e ferir.

O que o Zé tem com isto? Uai! Foi ele quem nomeou ou foi ele quem aceitou a nomeação deles, logo, tem sim culpa e é em última instância o responsável por vários e dolorosos dias de choro e ranger de dentes.

Uma grande parcela da cidade de Irecê sabe que minha família[bb]passou, e ainda passa, por este problema de saúde. Este ano está uma maravilha. Meu filho recebeu alta médica. Só iremos refazer exames se, e se somente se, existir algo. Mas, a regra é permanecer este ano do jeito que está.

Desde a eleição de Zé que sofremos coação política. Mas, é o Zé quem paga por erros de servidores? Sim! É o prefeito que é mesmo responsável por sua equipe oras! Se nomear quem nomeou para uma função, e nesta função ele destrata o cidadão, é sim, ao menos a culpa política dele não ter, e de não estar rodeado de pessoas que saibam respeitar o cidadão. Se ele age assim, é sob a tutela do mesmo. Apesar de você pensar eu esteja sendo injusto em atribuir a ele a culpa do servidor. Eu, porém penso, que ele está rodeado de pessoas assim, e se não sabe, é incompetente, se sabe e nada faz é permissivo, complacente, conveniente, folgazão. Simples assim.

No departamento de TFD só fomos bem atendidos quando uma determinada pessoa da família Dourado encaminhava a documentação. E mesmo assim, várias vezes, quando lá chegávamos, erámos preteridos. Muitas e muitas vezes disseram-nos: “Não tem nenhuma reserva feita para vocês não, e o ônibus está lotado”

Muitas outras vezes, necessitávamos ir para Salvador e estar lá na Terça-Feira, e, no entanto tínhamos que ir ao Domingo, e várias vezes tiveram que ficar em Salvador a semana inteira até voltar. Em certa viagem, queriam nos levar para Salvador no domingo, sendo que o exame era na sexta-feira. Deveriamos ficar hospedados com todas as despesas por nossa conta. Fizemos as contas. Era mais barato sairmos daqui a quinta-feira. Fazer os exames na sexta-feira e voltar no ônibus das vinte e três. O que fizemos. Quando exigimos o ressarcimento a resposta foi: paga quem pode! Muitas passagens de ida e volta fui eu quem pagou. Devo no cartão de crédito. Devo dois empresários amigos. Devo familiares. Mas, durante todo o período meu filho não ficou sem ir fazer o tratamento em Salvador. Muitas vezes ficamos na “Casa”. Pagamos também as diárias lá. Mas, a propaganda diz que é gratuito. Quem não tem dinheiro, às vezes, nem é bem tratado. Uma ou duas vezes um amigo que trabalha no município ressarciu os valores gastos na viagem com a apresentação das Notas Fiscais.

No momento mais critico quando necessitávamos de fazer vários exames a pessoa responsável pela organização, seleção e encaminho dos pedidos de exames nos disse que cada exame levaria até nove meses, mas, que seria possível, com o pagamento de certa quantia ser atendidos e termos os exames em poucos dias. Levamos o caso ao MP-BA, que encaminho denúncia. Depois soubemos que, pessoas foram chamadas, e foi-lhe perguntado se era verdade. Claro que iriam negar. Esperávamos que se investigassem o esquema. Não soubemos o que resultou.

As demais despesas com transporte, alimentação, exames, remédios foi tudo ajuntado em pastas e tiramos cópias e procuramos a Defensoria pública para entrar com ação. Mas, até ali o poder do prefeito é forte. Aquele que deveria lutar e defender os direitos dos que foram negados disse-nos:

– É uma causa perdida! Vocês vão perder esta causa. Se eu fosse vocês nem perdia tempo com isto. O prefeito vai colocar os servidores para desmentir vocês, e mentir a favor dele.

Olhei para a cara dele, e chamei minha esposa para sair daquela sala. Eu passo por ele na rua, e sinto vergonha de ver este senhor que foi constituído como Defensor Público!

Eu já fiz textos elogiosos ao Zé e sua administração. Até estudei os motivos pelos quais as contas de sua administração fora rejeitada. Há pelo menos um item que a oposição poderia explorar politicamente, mas, eu não irei dizer aqui o que é não. O que tenho que elogiar, elogio. O que tenho que criticar, eu critico.

Zé fez muitas mudanças na cidade. Praças, ruas, avenidas. Não tem como negar. Por exemplo, a Avenida Adolfo Moitinho. O trecho ali próximo da rodoviária. Tá bem feito. A Praça da Igreja Matriz. A Praça da Prefeitura (questionável, mas, fez). Postos de Saúde (PSFs). Quadras. Escolas reformadas e caídas também. Inegavelmente o Zé fez até agora muitas coisas. Mas, o que nos falta é que nos faz ficar contra. De que adianta termos uma praça reformada como a Cleriston Andrade (do São João) se a saúde está do jeito que está?

O nosso desagrado maior é ter ouvido conversas diversas e diretas de pessoas ligadas à administração. Posso elencar: Robéria. Celso Cambui e Jacó. Estes disseram que tomariam as providências. E, passamos o vale da sombra da morte sem que o município cumprisse o seu papel de apoio a nós como a lei exige e aponta como deveria ser.

Não só a nós a saúde foi o ponto fraco da Administração de Zé. Muitas outras famílias foram maltratadas, deixadas a mercês da sorte, do infortúnio, dos desmazelos do setor público da saúde administrada por Zé. Tem família por ai, que não tiveram as oportunidades que fizemos. Teve casos ai, em que, os exames foram liberados depois do óbito, ou seja, não tem como pagar o esquema: Caixão e vela e a sina!

Se a administração de Zé fosse avaliada por diversas melhorias na cidade, ele se reelegeria 10 vezes. No entanto, por causa da saúde ofertada e administrada pela equipe dele, e consequentemente, por ele, bem. Ele não terá nosso voto.

O racha da base aliada envolvem outras questões políticas que não irei comentar. Mas, sabe-se que muitos estão desgostosos com os confrontos, com as humilhações, com as faltas de ações, com as atitudes contrárias as promessas feitas. É possível Zé ser reeleito? Sim! É possível! Nada está perdido. Mas, garanto a todos, não foi eleito com meu voto, e nem será, se for reeleito com o nosso voto. Pessoas[bb]do governo Zé nos maltrataram, e, por tabela, o governo Zé é responsável por tudo que eles fizeram e fazem nos hospitais, nos postos de saúde, e no TFD.

Por causa do que passamos nestes anos todos em relação à Saúde é que não votarei em Zé nas próximas eleições. E antes, eu não votei por quê? Porque Zé é candidato[bb]do PT e isto por si só, já é motivo suficiente para não ter o meu voto. E você não votará em Zé por que?