Por que não usar o navegador Edge mesmo com a agressiva promoção da Microsoft?

A disputa por espaço, visibilidades, predileção é tipicamente um evento onde tem concorrência. Por óbvio que, sendo assim, cada qual se esforce para exibir suas qualidades, vantagens, motivos, inovações e tudo que for positivo para sua marca, produto, setor, categoria, classe, etc., e tal! A Microsoft, a partir e juntamente com o lançamento do Windows 10 trouxe inovações diferenciadas com o navegador Edge! Dizem muitos que se trata de cópia de recursos inerentes e comuns em outros navegadores. Seja como for, eu não tenho mais um navegador padrão ou navegador que gosto mais, que defendo, como outrora! Eu tenho instalado e utilizo 5 (cinco) navegadores em meu computador. Cada um para atividades específicas.

Foi a melhor solução que encontrei para a questão. Por outro lado, a Microsoft, tem se utilizado da popularidade do sistema operacional Windows 10 e tem tentado alavancar a popularidade do navegador Edge. Eu utilizo o navegador com frequência, mas, não o tenho como padrão! E, quando abro o Mozilla Firefox, que é o navegador que utilizo para acessar determinados sites: torrents para filmes, séries, youtube, pornografia, etc., o Windows 10, por meio da Central de Ações me informa que o Microsoft Edge é mais seguro do que o Mozilla Firefox e do que o Google Chrome!

Três tópicos em destaque

Ao clicar no link da Central de Ações que traz a promoção e propaganda do navegador Edge se tem três itens em destaque, a saber:

a) Bloqueio de Malware de Engenharia Social;

b) Segurança sem especificações!

c) Segurança específica

Eu por outro lado, apesar de todo o esforço da equipe Microsoft em relação a seu navegador, o Edge, só necessito de um motivo para não o usar com mais frequência! Não mais do que um motivo.

O motivo mais forte para não usar

Utilizo cinco navegadores em meu computador. Nas empresas dos clientes sempre disponibilizo pelo menos 4 navegadores e dou orientações de qual usar, em que situação cada um é melhor do que outro. Mas, o Microsoft Edge eu tenho um motivo para não o indicar para o uso dos clientes, que mostro na imagem abaixo:

Isto mesmo! Quando tento acessar sites específicos de bancos, governamentais, e, em muitos casos uteis em escritório de contabilidade, advocatícios, clínicas médicas, empresas de empréstimos consignados, farmácias… etc, o Microsoft Edge me diz que tento acessar um site ou um serviço do tipo “Vintage”.

A definição de Vintage: “tudo aquilo que pertence ao passado”. Quando o assunto é moda, roupa, estilistas “refere-se à uma peça de vestuário com mais de 20 anos, pelo menos”.

Concluo dizendo que só este motivo é suficiente para não se usar o Microsoft Edge com mais assiduidade, desejo, vontade e como padrão, mesmo no Windows 10. Como é que um navegador inovador, novo, cheio de recursos, simplesmente impede o usuário de acessar o banco, seja ele: Banco do Brasil, Caixa, Bradesco, Itaú, Santander…? Como é que esta equipe deseja me convencer de usar o navegador do Windows 10 sendo que, eles mesmos utilizam argumentos que me farão desistir do navegador?

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *