Por causa da fratura na Cabeça do Rádio, tenho que me tornar um canhoto

Quando fui atendido na UPA 24h a médica que me atendeu tinha como especialidade a área de endocrinologia. Conversei com ela sobre a situação da diabete, os cuidados necessários que eu tinha que tomar, medicamentos corretos, etc. e tal.

Eu a perguntei se não era necessário um raio X do braço, pois, era o que muito me incomodava no momento. O joelho e o pulso direito em nada reclamavam além da ardência. O joelho por causa da raladura, o pulso esquerdo pelo impacto da mão no asfalto provocou uma enorme bolha de sangue na palma da mão.

Insistir com os enfermeiros: Ela não disse nada sobre um Raio X do braço? – Não! Mas, vamos lá dentro falar com ela. – disse ele. Seguimos pelo corredor. Recebi a receita de medicamento, fui levado para o setor de medicação e fui dispensado. Não fizeram o Raio X no braço.

Hoje, devido as dores no cotovelo que não cessavam fui à Clínica Ortopédica e lá fui atendido por um ortopedista. Ao tocar no braço disse-me: Tem fratura! Vai ali e tire um Raio X para eu ver onde, e de que tipo de fratura existe ai.

O resultado do Raio X apontou fratura na “Cabeça do Rádio”. – Não precisa de cirurgia. Mas, não posso engessar seu braço por causa da ferida. Você vai ter que ficar com o braço nesta posição da tipoia por 15 dias. Depois volta aqui para outro Raio X, e fará compressas com gelo 3x ao dia, e depois, terá que fazer fisioterapia.

Figura 1: Esta imagem foi pesquisada pelo Bing Imagens

Eis na imagem acima onde é que foi apontado a fratura: Cabeça do Rádio. Aqui estou com o braço imobilizado, tentando me virar com o braço e mão esquerda. Para comer, beber, usar o mouse, teclado… enfim, as circunstâncias me fizeram de canhoto, ao menos, temporariamente.

Não deixa de ser lamentável a situação de saúde na Bahia e no Brasil. A UPA 24h é uma estrutura em que serve para atendimento de emergências e urgências. E, pela enésima vez, não há atendimento especializado em áreas especificas. Outra vez, quando lá estive, quem me atendeu foi uma pediatra, e teve que atender um caso de alergia. Outra vez, minha esposa foi atendida por um médico de outra especialidade, e eles estão sempre avisando: Vou te atender pela situação, mas, você vai ter que ir em um médico especialista da área.

Pedro Saldanha
Oi Adão, tenho 21 anos e sofri uma queda em um sitio que estava passando o carnaval em Candeias MG na segunda feira a noite (16/02) fraturando a cabeça do radio direito, na terça pela manha fui no pronto socorro da minha cidade onde fiz um raio x (de muita má qualidade)e a médica que atendia disse que era apenas um trincado, mesmo que eu tenha percebido no raio X a cabeça completamente estranha. O hospital me encaminhou pra um ortopedista em Oliveira que nada mais fez que olhar o raio X e dizer que eu havia fraturado a cabeça do rádio em varias partes e que a cirurgia não era feita naquela cidade, as enfermeiras do hospital então me cadastraram no sus facil para tentar conseguir uma vaga para fazer a cirurgia. Por conta própria viajei pra cidade onde estudo, Lavras, e procurei atendimento na URPA por volta de umas 8 da manhã do domingo (22) e tirei um raio X ali mesmo (um pouco melhor que o da minha cidade), esperei atendimento do Ortopedista e ele constatou a fratura e disse ser grave, difícil e cara e que provavelmente eu precisaria remover a cabeça do osso, mas que ele não fazia esse tipo de cirurgia, mas muito atencioso me informou que eu precisaria acionar o seguro da minha universidade, já que não tenho condições para pagar a cirurgia ou esperar a vaga no SUS que nunca sai, ele me passou também nomes de Ortopedistas que fazem esse tipo de cirurgia, com um pedido de tomografia esperei das 10 da manha ate 3:30 da tarde por uma ambulância que me levou ate um hospital particular da cidade para a realização da mesma, feito isso voltei para a URPA e esperei até 6:30 para ser novamente atendido pelo Ortopedista que constatou algo pior: um pedaço da cabeça estava entre a articulação, fui embora pra casa sem esperanças, depois de um dia inteiro naquele lugar. Pela manhã do dia 23 procurei o ambulatório da universidade onde uma enfermeira me ajudou muito com a comunicação com a corretora de seguros que me mandou um relatório para ser preenchido por um medico conveniado da unimed, sabendo que deveria fazer essa cirurgia o mais rápido possível, voltei na URPA a tarde para conseguir pegar os meus exames e entregar ao cirurgião para ai sim ele conseguir preencher corretamente o formulário, mas me disseram que o radiologista ainda precisava fazer o laudo e isso so ficaria pronto na quarta (25) pela manhã. Tive que ir na fé no consultório particular do cirurgião para uma conversa para tentar fazer ele preencher o formulário sem meus exames, apenas com o laudo do Ortopedista da URPA que inclusive é conhecido dele, mas o consultório estava cheio e não tinha tempo, pediu que eu voltasse no outro dia (hoje) as 10 da manhã, feito isso mostrei o laudo e expliquei a situação do bloqueio dos exames e ele me disse que o seguro cobria, mas que precisava de no minimo um raio X e que eu deveria entregar a tarde, fui no hospital ao lado e fiz o raio X (muito bom, nítido e de qualidade) pegando a nota fiscal para pedir reembolso ao seguro depois. As 3 fui no cirurgião ele olhou o raio X e explicou o tipo de cirurgia: a remoção da cabeça do rádio, e que isso não acarretaria em sequelas muito grandes a longo prazo, a cirurgia precisaria ser feita em até 2 semanas após o trauma, depois disso ficaria difícil, preencheu o formulário, deu a data de internação: Sexta (27) pediu que eu entregasse em um setor do hospital especializado em seguros (nisso se foram R$220 da consulta), chegando lá a responsável não estava, agora espero para entregar pela manhã e ficar na fé de que o seguro aceite o pedido. O que podemos perceber é que a burocracia reina no nosso país e quem mais sofre é quem depende da rede pública, sou jovem e se depender do SUS nunca faco essa cirurgia urgente e fico impedido de estudar ou trabalhar de maneira satisfatória (estou escrevendo esse comentário apenas com a mão esquerda como você e sou totalmente destro, sou destríssimo kkk)
Você conseguiu a cirurgia? como e quando foi? teve alguma sequela? Estou preocupado sobre isso, tem como me informar no email como foram os procedimentos e as consequências da fratura?
Abraços amigo de fratura ;P
Wellington Nascimento
Olá sou Wellington Nascimento da cidade de Arcos (MG) E a mais ou menos 8 meses FRATUREI a cabeça do radio la em minas de corrale (uruguai) demorei 5 dias pra ser feira a cirurgia sendo que na mesma foi colocada 6 parafusos. fios. É uma placa em T de titânio. .segundo os médicos que fizeram a cirurgia disse que a cirurgia foi 100% mais até hj não tenho meus movimentos normalizados fia fisioterapia e nada o braço não estica e nem encolhe a Palma da mão não virá pra cima. .. E venho aqui perguntar si isso tudo é normal e si não é normal si tem algum outro recurso pois preciso trabalhar e infelizmente não posso e qual médico e tipo de especialistas devo procurar obg aguardo suas respostas ancioso
nilton cesar
meu caso é o mesmo deste (Wellington Nascimento) so que eu o medico so depois de operar disse que colocou 4 parafusos mas foi so o que ele pode fazer pois o sus nao tinha protese e teve que retirar a cabeça do radio hj não tenho meus movimentos normalizados faço 2 vezes por semana fisioterapia e nada o braço não estica e nem encolhe a Palma da mão não virá pra cima faz 40 dias que operei what 24998377295
Claudia Azevedo
Minha mãe tem 81 anos. Levou um tombo há mais ou menos 15 dias. Disse que não foi nada. Dez dias depois não aceitou depois de muita insistência ir ao médico. Em princípio ela falava: deve ser o nervo. Em fim o rx mostrou um fratura na cabeça do rádio braço direito. Está com tipoia mas não sossega. O senhor acha melhor colocar gesso no braço? Ela não tem plano e foi agendada para voltar ao médico dia 09 de outubro.
Agradeço a atenção.
Marta Medeiros Rocha
Quebrei a cabeça do rádio e o médico mandou me imobilizar com gesso, mas pesquisando no Google, verifiquei que não se engessa mais e sim põe tipóia (no caso qd a fratura é pequena, grau 1). Isso procede? Diz que engessando corre o risco de perder mobilidade.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *