Como é que os problemas da política do governo atingem a nós técnicos de informática

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmailby feather

A vida dos profissionais ou de pessoas como eu e também de empresas que tem como fonte de renda a prestação de serviços, somos, entre os muitos segmentos sociais existentes, os primeiros grupos de pessoas do país a sentir os efeitos da desvalorização da moeda, a perca do poder de compra, a desvalorização do dinheiro em relação ao serviço prestado, numa relação com x serviços realizados, obtenho y; ou, com x reais compro isto, aquilo, aquilo outro.

Funciona assim:

Faz uns três anos eu e minha família fomos comer em um restaurante. Éramos quatro pessoas. Três adultos e uma criança. A criança, além de comer, tomou um suco de cupuaçu, e um sorvete. Os adultos tomaram três cervejas, e 1 litro de refrigerante. O total pago foi de R$ 46,10. Arredondaram para R$ 46,00 e ficamos neste valor.

Esta refeição atualmente para nós quatro, é quase o dobro do valor. Há três anos, estas despesas eu tinha que fazer UM serviço de R$ 50,00 e já poderia ir desfrutar lá, a boa comida, a bebida e o bom atendimento. Para pagar as despesas deste restaurante, na mesma situação anterior, tenho que fazer DOIS serviços.

Quando nós, por esta situação aumentamos o valor do serviço, a categoria dos profissionais dos serviços é logo responsabilizada pelo o aumento da inflação, que, devido à alta nos preços dos serviços elevaram os índices do Preço ao consumidor e muitas outras coisas que os especialistas em economia explicam e falam.

Já estivemos em situação melhor, mas, no cenário atual, com baixo crescimento econômico, inflação em alta, perspectiva futura incerta, nós não podemos ficar reféns da situação, e o que nos resta, é de fato contribuir para a piorar a situação, que é, aumentar o valor dos serviços. No final, quem paga mais, é sempre nós mesmos. Eu pago mais no restaurante, no açougue, no verdureiro, no bar, na escola … e, por conta do aumento em nosso redor, somos obrigados pelas circunstâncias a aumentar nossos valores.

Há na região de Irecê, pessoas que fazem formatação de computadores por R$ 30,00. Não vou debater qualidade dos serviços, por que nenhum deles fizeram serviços para mim. Mas, eu vejo neste valor, um preço prostituído. Pior: prostituído por baixo valor. E, isto, dificulta para todos. Para ir num restaurante cobrando R$ 30,00 por preparação de um equipamento para uso familiar ou empresarial terei que fazer TRÊS computadores. Terei que atender TRÊS clientes.

Outra comparação que sempre faço, é com a profissão de pedreiro. Meu pai dizia que eu deveria estudar para não ter a vida sofrida que ele teve como pedreiro. Segundo ele, a profissão era digna, era honrada, recebia um valor justo por cada serviço, MAS, as atividades, o dia-a-dia de um pedreiro era muito árduo, e o pior, quando se termina as obras, normalmente o nome que vai na placa é do engenheiro, do arquiteto, ou, por outra: reconhecimento mínimo. Por isto e outras questões ele exigia que eu estudasse, pois, quem estudava, naquela época, era para ter uma vida com menos força física. Hoje não! Os pedreiros têm equipamentos que lhes facilitam a labuta, bem como, tem renda, em muitos casos maior do que, quem é formado em alguns cursos.

Um pedreiro médio ganha por dia entre R$ 90,00 e R$ 120,00. Este valor tem variações para maior. Há regiões em que a diária de um pedreiro é mais de R$ 200,00. Ai, vem os argumentos: Os pedreiros se especializaram; os pedreiros têm custo alto com os equipamentos, os pedreiros têm responsabilidade. … etc. Tá! é justo a diária de um pedreiro, mas, é caro deixar seu equipamento funcionando, com antivírus instalado, com drivers atualizados, com Java atualizado, Adobe Reader funcionando, Office pirata funcionando ou LibreOffice instalado, impressora, rede, software específico da empresa rodando, internet, firewall, internet banking, certificados digitais …etc. Em muitos casos, ter o cuidado em fazer cópia de segurança de fotos, vídeos, músicas, trabalhos de faculdades, … tudo isto, tem que ser por um preço baixo.

O que quero dizer com esta comparação com o pedreiro, é que, não deveríamos fazer certos serviços de informática por menos do que a diária de um pedreiro, pois, do contrário, nós não empataremos as despesas com as receitas nunca. Pois, tudo está aumentando. Tudo tem aumentado. Tudo está mais caro! Então inevitavelmente, o valor dos serviços também devem seguir a tendência e aumentar.

Outro dia, um gestor de uma clínica me pediu um Orçamento de recuperação dos dados de um HD Externo que estava dando mensagem de arquivos corrompidos. Depois de analisar o estado do HD estimei o valor em R$ 1,50 por cada Gigabyte recuperado, o que, nos cálculos feitos, o preço máximo do serviço seria de R$ 750,00, se, e se, somente se, todos os dados fossem úteis e recuperados. Ele saltou acolá com um sorriso amarelo e me disse: “eu vou ser é técnico de informática”. Ainda tem isto!

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmailby feather
Mateus Macedo
opa tudo bem ? espero que sim . ao fazer a leitura da sua opinião, fiquei pensando eu aqui em belo horizonte enfrento as mesmas coisas e ate os preços são os mesmos, complicado por isso que falo sempre que somos os peões da informatica.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *