Adão Braga Borges nasceu em Nanuque, Minas Gerais. Morou na Vila Esperança na Av. W1, que hoje é denominada de Av. Anhanguera. Meus pais ainda lá moram. Atualmente mora em Irecê. Casado. E segundo diz a esposa, acompanhada de testemunhas, sou pai dos dois filhos dela. Sou grato por ter isto. Trabalho com informática. Manutenção. Instalação. Configurações. Estudo informática no IFBA.

Adão Braga Borges nasceu em Nanuque, Minas Gerais. Morou na Vila Esperança na Av. W1, que hoje é denominada de Av. Anhanguera. Meus pais ainda lá moram. Atualmente mora em Irecê. Casado. E segundo diz a esposa, acompanhada de testemunhas, sou pai dos dois filhos dela. Sou grato por ter isto. Trabalho com informática. Manutenção. Instalação. Configurações. Estudo informática no IFBA.

Como era a atuação do PT e aliados, antes e depois da PEC 241

A Emenda 241 foi aprovada na primeira votação. Isto quer dizer que a mudança, depois da tramitação concluir, a Constituição brasileira terá mais esta parte incorporada ao seu conteúdo.

A partir de agora será intensificado a massificação de que a proposta do “governo golpista” contra o povo está sendo praticado. Já espero que vá aparecer muitos “especialistas” em educação, saúde, segurança, contábil, fiscal […] com as mais inovadoras explicações, apontando outras soluções, que, antes da PEC 241 eles não sabiam o que fazer; não quiseram fazer; não fizeram propostas, nem “botaram a cara” na frente de nenhuma proposta que mudasse a situação fiscal e contábil do Brasil.

Vão querer convencer a opinião pública de que a saúde, a educação, a segurança, a infraestrutura serão os mais prejudicados; que os pobres é quem pagará mais; os pobres sofrerão muito mais do que os ricos; que os ricos deveriam pagar 99% de suas riquezas… e outras coisas, tipicamente deles. São pessoas que, em minha opinião, tem algo contra as empresas, contra o lucro, contra o capitalismo, contra a organização contábil, fiscal de um país.

O munícipio, o Estado e o Brasil devem se profissionalizar a sua gestão pública. Uma empresa bem gerida em todos os aspectos existentes, é muito melhor de trabalhar.

Por óbvio, se o país for bem gerido, se o pais tiver regras necessárias de controle fiscal e contábil tal qual é exigido das empresas, médias e pequenas, é sabido que a saúde financeira melhora; a situação dos funcionários melhora; a empresa pode fazer novos empreendimentos, expandir-se, fazer mais contratações, pagar por especializações dos funcionários, melhorar o ambiente de trabalho, modifica todo o contexto e a existência da empresa no mercado.

Se funciona nas empresas por que não funcionará para o Brasil?

Se é um princípio contábil estabelecido e firmado como um dos pilares administrativo: Gastar até o limite do que se arrecada; ou, cada crédito equivale a um débito; gaste bem e melhor seus rendimentos; […] tudo isto está aí disponível em apostilas, cursos, vídeos, livros, revistas como sendo parte do segredo para se ser rico, bem de vida, por que agora é criticado e visto como um mal para o Brasil?

O que Dilma dizia e queria fazer e não FEZ!

Eu estranho estas pessoas que estão criticando a aprovação e a desnecessidade de tal regramento contábil e fiscal para o Brasil. Antes de Dilma e o PT cair em descrédito era o que eles queriam, pensava e tentaram fazer, mas, não conseguiram.

Abaixo transcrevo palavras de Dilma e da reportagem do El país:
Dilma garante reduzir gastos.


A presidenta Dilma Rousseff garantiu nesta terça-feira que o Governo vai cortar na própria carne, ou seja, reduzir os próprios gastos, em nome do ajuste fiscal necessário para o equilíbrio das contas públicas.

[…] a presidenta disse que o Governo promoverá “um grande corte“. “Vamos cortar despesas correntes e temos de racionalizar os gastos do Governo”,

[…] fará tudo para atingir a meta fiscal estabelecida pelo ministro da Fazenda,

[…] exige um aumento de receitas e redução de gastos para fechar a conta do Governo.

[…] os cortes são necessários para reduzir o déficit atual. No ano passado, o setor público registrou um saldo negativo de 0,64% do PIB.

[…] para reverter o quadro, e não deteriorar mais o quadro atual, o Governo começou o ano anunciando o fim de subsídios ao setor privado, e o aumento de tarifas.

[…] fará a economia necessária para retomar as contas equilibradas. O tamanho do corte que será anunciado ainda não é conhecido, mas já se especula que ficará por volta de 80 bilhões de reais.

[…] A entrevista da presidenta à agência de notícias, que tem como público alvo investidores e especialistas do mercado financeiro, ocorreu no mesmo dia em que o Tesouro anunciou um saldo negativo de 2,3 bilhões de reais do setor público.

[…] o Governo Federal quem mais contribuiu para deixar as contas no vermelho: um déficit de 7,357 bilhões de reais;

[…] Dilma afirmou que a redução do rombo no orçamento ajudará a retomar a confiança na economia apontando para uma retomada rápida do crescimento.

[…] O ajuste fiscal tornou-se uma questão de vida ou morte para o Governo Dilma.

Tem o documento no site da Fazenda: Reforma Fiscal de Longo Prazo que mostra no PDF o planejamento do governo Dilma para o Brasil. Agora o PT e aliados dizem que é mentira. Mas, a internet não deixa nada ser esquecido.

Eles são muito estranhos e esquisitos …

É muito estranho estas pessoas ligadas a Dilma, ao Lula, ao PT, aos partidos de esquerda do Brasil. Eles sabiam e defendiam que era necessário fazer isto.

O governo petista reconhecia a necessidade de ser feito isto, mas, agora estão todos contra. Estão todos lutando contra; estão ferrenhamente fazendo campanha contra.

É uma gente tosca e limitada, estranhamente antiéticas!

Como é que vou acreditar em pessoas que, uma hora defende algo como certo, correto e necessário; tenta fazer e não conseguem. Então outra pessoa, outro governo, vai lá e faz o que eles diziam ser necessário fazer, porém, como não foram eles que fizeram, mudam de lado e passa a defender o contrário e criticam o que eles queriam fazer, mas, quem fez foi o outro?

Ô gente sem noção e esquisita!

“Fui chamado” de escravagista por defender o livre mercado!

Nesta tarde, mais uma vez, tive uma conversa com um doutor. Porém, cada dia que passa, mais fico convencido de que em Irecê e na região a mente das pessoas, pelo menos metade dos habitantes de Irecê, tem conceitos contrário ao que penso.

São pessoas que creem e esperam que o “Estado” seja o tutor, o patrão, o benfeitor, a maior empresa, o dono de tudo, o paizão, a mãezona de todos. Eu não!

A conversa se transcorreu sobre o fim das greves dos bancários.

Em minha opinião, disse a ele:

– Todos que estão insatisfeitos com o que ganha deveria ter a hombridade de ir lá, pedir para sair, receber o que tem a receber e ir fazer o que lhe satisfaz e agrada.

O doutor discordou! Na opinião dele, se as pessoas estão ganhando menos, se os salários não estão sendo reajustados, se as condições de trabalho não estão boas, devem os funcionários fazer greve. Parar os serviços da empresa.

Mas, não soube me explicar, como é que fica a lengalenga de se “fazer o que quer para ser feliz! “; que não se deve ter medo de ir atrás de seus sonhos; que se deva desvencilhar de todos os grilhões que te aprisionam. Disse que o mundo não é igual ao que eu penso; que o que penso só funciona para mim e ou para uma só pessoa. Ou seja, o doutor, que vive de prestar serviços especializados em causas trabalhistas é a favor de mais Estado; mais imposto sobre as empresas; é a favor de que os bancos e a empresas tenha que dividir TODOS os lucros.

Por fim, é uma mentalidade contrário ao livre mercado; contrário ao liberalismo. Se bem que, o carrão dele, a casa, o celular, os aparelhos que usa, somente onde há capitalismo, onde a mercado, a livre iniciativa existe!

Para mim, o direito à greve deveria acabar e quem tem serviços a oferecer, que venda seu tempo, que venda suas capacidades técnicas e seus serviços pelo preço que lhe seja justo; que consiga negociar o melhor preço para que se trabalhe menos, ganhe mais e que esteja fazendo o que gosta, o que ama e o que sabe fazer!

Para o doutor, esta minha visão é escravagista. Para ele, no entanto, o Estado tem que ser o maior patrão de um país; que os direitos trabalhistas, são em regra, desrespeitado pelos patrões e pelas empresas.

Por outro lado, não vê com bons olhos a minha ideia: que todo e qualquer servidor público tenha a coragem, de, por estar recebendo pouco, estar insatisfeito pedir demissão e vir para o mercado de trabalho, que venha empreender; que venha ser patrão; que seja dono de seu próprio negócio… ah! Isto é uma visão escravagista!

VisualG – digitar o nome de 5 alunos e a média de cada aluno

Eu sei o básico, o comum da área de programação de computadores. Se tiver que fazer um programa, garanto que faço. Os meus problemas são de “outro nível” como sempre repete meu filho. Eu não sei programar eficientemente; não consigo produzir eficazmente; nunca conseguir fazer programas e mantê-los de forma a manter-me econômica e lucrativamente.

O que sei de programação é o suficiente para entender o tema e responder algumas coisas básicas. Não domino nenhuma das linguagens de programação existentes. Não tenho, nem mantenho nenhum programa de minha autoria. Mas, sei o suficiente para responder perguntas como estas que me enviaram nos comentários.

Faça um algoritmo que auxilie um professor, solicitando que digite o nome de 5 alunos e a média de cada aluno, posteriormente mostre em forma de tabela (matriz) o nome de cada aluno e suas respectivas notas.

Observo que na questão, não é solicitado “CALCULAR A MÉDIA“, e sim, a digitação das referidas médias e a listagem dos nomes dos alunos e de suas médias. Sendo isto, eis abaixo o código:

Este código acima faz o seguinte:

  • Na linha 3 fiz a declaração do vetor alunos.
  • Este vetor “alunos:vetor[1..5] de caractere” receberá os nomes dos alunos;
  • Na linha 4 fiz a declaração do vetor notas.
  • Este vetor “notas:vetor[1..5] de real” receberá as notas dos alunos;
  • Da linha 7 até a linha 12, é executado o laço: “Para i De 1 Até 5 Faça” que repetirá 5 vezes as linhas 8 a 11.
  • Nestas linhas de 8 a 11 será perguntado o nome do aluno e a nota de média dos mesmos.
  • Da linha 16 até a linha 20 é executado o comando de exibição “escreva (alunos[i], ” teve a média de …: “, notas[i])

O resultado na tela é assim:

Adão Braga: Canal de vídeo no youtube

Desde que iniciei o projeto: Adão Braga: Canal de vídeo no youtube, em pouco mais de trinta dias já fiz e publiquei 23 vídeos. Sigo a proposta de criar e publicar vídeos sobre o uso dos recursos da informática no dia a dia.

Estes primeiros vídeos, a maioria deles, são relacionados ao editor de texto da Microsoft, o Word 2013.

O conteúdo dos vídeos pode ser aplicado até na versão Microsoft Word 2007. Eis abaixo a lista de todos os vídeos públicos no canal Adão Braga no Youtube.

  1. TCC: como fazer uma tabela do Word somar uma coluna ou linha– Duração: 104 segundos.
  2. TCC: como fazer os ajustes de uma tabelaJá assistiu. – Duração: 105 segundos.
  3. TCC como inserir tabela; como inserir colunas, linhas e fazer mesclagem de células– Duração: 70 segundos.
  4. TCC: como criar uma lista numerada e subnumerada.– Duração: 83 segundos.
  5. TCC: criando lista com marcadores; utilizando marcores para criar listas– Duração: 77 segundos.
  6. Como fazer uma capa de TCC: alinhamento de capa justificado– Duração: 88 segundos.
  7. Como fazer uma capa de TCC: alinhamento de capa centralizado– Duração: 73 segundos.
  8. Faça o sumário primeiro e navegue melhor e mais rápido no trabalho de TCCJá assistiu. – Duração: 82 segundos.
  9. Faça uma citação longa com um clique!Já assistiu. – Duração: 73 segundos.
  10. Como fazer uma citação longa em dois cliques– Duração: 65 segundos.
  11. Fazer Sumário depois do TCC prontoJá assistiu. – Duração: 83 segundos.
  12. Corrigindo a numeração dos títulos do sumário– Duração: 86 segundos.
  13. Como modificar os Estilos Título 1 e Titulo 2 do Microsoft Word 2013– Duração: 57 segundos.
  14. Como fazer um sumário de ilustraçõesJá assistiu. – Duração: 81 segundos.
  15. Copiar e Colar para facilitar o seu sumário;Já assistiu. – Duração: 51 segundos.
  16. Criando sumário, inserindo subtítulos, atualizando sumário– Duração: 74 segundos.
  17. Aprender a fazer sumários– Duração: 74 segundos.
  18. Como remover ecos quando vou gravar no Sound ForgeJá assistiu. – Duração: 71 segundos.
  19. Como configurar a data e a hora do computadorJá assistiu. – Duração: 67 segundos.
  20. Windows 10 – Papel de Parede metodo 2Já assistiu. – Duração: 83 segundos.
  21. Windows 10 – Trocando o papel de parede– Duração: 51 segundos.
  22. Configurar tamanho do papel padrão ABNT A4Já assistiu. – Duração: 69 segundos.
  23. Configurar margens para o TCC no padrão ABNTJá assistiu. – Duração: 46 segundos.

O direito à preferência na fila, não é passaporte para a má educação

Tem muita coisa no país Brasil que necessitamos por fim. Algumas, são influências; outras são leis; outras são do senso comum; muitas já fazem parte da cultura de nosso povo. Tem uns direitos, que, para mim, ferem o direito de outros; e alguns direitos, permitem que aproveitadores usem a seu favor. Por exemplo, é o caso dos “direitos especiais” para aqueles que, diz a lei, deve ter preferência especial nas filas, acesso especial, e, cuidado especial.

Nada contra haver leis para beneficiar pessoas em situações tais. Mas, tudo contra os aproveitadores. Tanto quanto reconheço, que, se houve a necessidade de legislar a questão, é por que, pessoas em estados especiais, não gozavam das gentilezas e educação de nós outros, a ponto, de ao reconhecer uma pessoa nestas condições oferecer-lhe o lugar, proporcionar-lhe um alívio; evitar que tenha sua saúde ou condição piorada!

Hoje! De novo, e mais uma vez, no instante em que chega a minha vez de ser atendido na loteria, me chega uma senhora. Logo, que a vi, percebi que tem uma perna menor do que a outra, e, por isto, diz a lei, tem direito à preferência. Nesta loteria, pela segunda vez, tenho atrito com as pessoas por este motivo.

A vez anterior chegou um senhor, e, sem nada dizer, atravessou a minha frente. Protestei! Ele GRITOU que tinha idade para ser atendido como preferencial e que estava dentro dos direitos dele, que não devia nada a ninguém!

Indaguei-o se o direito que lhe fora concedido também lhe permitia ser mal-educado, e, ir tomando a frente sem nada dizer. Sem ao menos dizer “boa tarde! “, “dá licença! “, “Gente vou entrar aqui na frente de vocês”. Ir chegando e entrando na frente das pessoas que estavam a muito tempo a esperar!

Ficou constrangido e nada mais!

 

Hoje a mesma coisa aconteceu com senhora “perna curta! “.

Ela foi chegando e entrou na minha frente. Ela, primeiro deu o “migué” de perguntar: “Aqui paga isto? “. Quis saber do limite para saque. Não demorou 20 segundos chegou um senhor e entregou-lhe papeis a serem pagos; entregou cartões para sacar dinheiro e outra coisa a ser feita.

Era minha vez na fila. Fui para o caixa. A mulher do caixa se recusou me atender!

– Eu tenho que atender a ela que é preferencial!

– Concordo não! Ela chega e vai entrando na frente; sem falar nada; sem pedir licença; sem dizer que tem preferência.

Para mim, ser preferencial não dá direito a ninguém ser mal-educado. E se a loteria não tem um caixa preferencial, que coloque alguém para gerenciar as preferências.

O homem, que para mim, é o que aproveita da condição física daquela senhora, disse a ela para deixar eu passar na frente, que eu, que era mal-educado, e, que não respeitava os direitos dos outros.

– Ela tem a preferencial e o senhor? O que é que tem para entrar na minha frente? – Perguntei a ele! Que ela fique em casa e o senhor venha fazer o que tem que ser feito. E de forma irônica e sarcástica disse mais:

– Ah! Entendi qual é as preferências do senhor! De uma próxima vez, trarei minha esposa grávida ou vou trazer minha vovó que é aleijada!

As pessoas que estavam na fila se dividiram. Parte deles, apesar de não terem a coragem de protestarem, concordaram com a minha reclamação. Outros ficaram contrários e me recriminaram: “ela tem deficiência”.

E eu respondi:

– Ela tem deficiência. Por que ele, que não tem deficiência alguma usa a deficiência dela para entrar na frente de todos nós? Estas espertezas para cima de mim não cola não!

Direitos à preferência e leis existem, mas, devemos nos insurgir contra estes aproveitadores.

Reclamo mesmo!

O direito à preferência, não é passaporte para a má educação, tão pouco, nos entorpece a ponto de não reclamarmos destes aproveitadores das deficiências e preferências que a lei concede a quem de direito.

O maior canal com dicas de como usar o editor de texto para fazer um TCC

Minhas pretensões são modestas em relação ao Canal de vídeo de Adão Braga no Youtube.

A minha pretensão é gravar mais de uma centena de pequenos vídeos explicando como usar bem e melhor os recursos dos editores de textos para economizar tempo, ou, que seja também, produzir mais, com melhor qualidade, com menor tempo.

É a supremacia! Imagina você economizar tempo e trabalho na confecção do seu Trabalho de Conclusão de Curso com todas as dicas que vou divulgar em vídeo. Então será isto.

Os vídeos, se depender de mim e dos critérios adotados não ultrapassarão os 80 segundos, ou seja, cerca de UM MINUTO E VINTE SEGUNDOS! Penso ser desnecessário muitas explicações. É até chato, você querer saber uma coisa, um item só, e ter que assistir a um vídeo de oito, dez, doze, quinze minutos com muitas explicações e dicas que você não precisa.

Em minha visão, do ângulo que observo, milhares de universitários, buscam dicas rápidas de como encontrar uma explicação de como fazer algo no software. Nada além! Como, por exemplo: onde é que encontro o botão de inserir nota de rodapé?

São coisas, eventos e processos que muitos editores e profissionais da digitação o fazem em questões de segundos. Assim, penso que também em questões de segundos se pode saber como é que se faz isto e aquilo.

Há no Canal de Vídeo de Adão Braga no Youtube vários vídeos de pouco mais de 80 a 90 segundos. Visite o canal. Veja abaixo a listagem dos 10 vídeos do canal com maior número de visualizações.

 

Lembrete:

  • Com exceção do vídeo 1, que foi uma solicitação de uma internauta, todos os demais vídeos não ultrapassam os dois minutos. Não uso vinheta; não uso recursos visuais que alongam o vídeo.
  • São vídeos simples e rápidos para explicar a necessidade específica: como é que faço isto? Como é que configuro isto?
  • São vídeos simples, claro, curto e conciso. No ponto! Sem efeitos “extraordinários e somente o necessário”!