Adão Braga Borges nasceu em Nanuque, Minas Gerais. Morou na Vila Esperança na Av. W1, que hoje é denominada de Av. Anhanguera. Meus pais ainda lá moram. Atualmente mora em Irecê. Casado. E segundo diz a esposa, acompanhada de testemunhas, sou pai dos dois filhos dela. Sou grato por ter isto. Trabalho com informática. Manutenção. Instalação. Configurações. Estudo informática no IFBA.

Adão Braga Borges nasceu em Nanuque, Minas Gerais. Morou na Vila Esperança na Av. W1, que hoje é denominada de Av. Anhanguera. Meus pais ainda lá moram. Atualmente mora em Irecê. Casado. E segundo diz a esposa, acompanhada de testemunhas, sou pai dos dois filhos dela. Sou grato por ter isto. Trabalho com informática. Manutenção. Instalação. Configurações. Estudo informática no IFBA.

Um mundo em que o urgente toma lugar do que é importante!

Por estes dias estive em situação complicada. Além dos problemas emocionais; para além dos problemas hormonais; muito além do climatério se aproximando; além do que tem nos acontecidos após o fatídico ano de 2013, ter ficado sem o celular; sem a moto; ter ficado dias de insegurança, quando recebi o celular, me chegam mensagens.

Entendo as pessoas que vivem neste mundo urgente. Como dizia um amigo de minha juventude, o Fabrizio: “Vivemos em um mundo, em que o urgente, sempre tem tomado o lugar do que é importante” – Não ipsis litteris. Porém é com este sentido.

Quantas vezes encontramos pessoas nas ruas, nas igrejas, nas praças, e que, estão sob forte pressão psicológica, emocional, social e financeira?

Quantas pessoas estão em conflitos diversos sem demonstrar?

Quantos estão a sorrir protocolar e socialmente por que assim exige a etiqueta, assim, exige o mundo atual e moderno?

É este mundo urgente, em que, “se pago”,  logo tenho direitos assegurados, que muitas vezes, ignora e minimiza as emoções e as escolhas emocionais! Seja como for. Vivo neste mundo, e nele é que tenho que desdobrar e viver de acordo com a situação.

Os problemas financeiros, nós resolvemos quando a economia e os serviços melhorarem! No entanto, é muito comum, ver, ouvir e acompanhar pessoas lamuriando por terem perdido a oportunidade de ter ficado ao lado da pessoa amada; lamentar uma palavra dura em momentos agudos; viver repetindo ad aeternum:

  • – Ah! Se eu soubesse que seria assim, eu teria feito diferente;
  • – Eu não sabia que iria acontecer isto!
  • – Eu perdi uma grande oportunidade!
  • – Eu não dei oportunidade a ela para reconciliar;
  • – Eu não pedi perdão; eu não perdoei! …

Eu prefiro não arriscar. Prefiro viver as emoções. Prefiro passar fome com ela, que amo, do que, ter dinheiro sobrando na conta bancária e tê-la ausente de minha vida, ou, ficar com ela em todo e qualquer instante na incerteza dos eventos.

Por isto ai, não me arrependerei jamais!

Temos dado como vencido estes dias ruins

Parece que os dias estão voltando ao que desejamos sempre viver: sem doenças, tendo “o necessário, o extraordinário é demais! ” Eu havia reclamado do mês de julho, que foi, ao longo de minha existência o pior mês de julho. E, a semana passada deste mês de agosto (22 a 29 de 2016) foram dias não agradáveis.

Mas, tudo passa!

Minha esposa, na terça-feira à tarde, teve uma estranha manifestação de cefaleia, olhos vermelhos, mãos, pés e rosto inchados. Levei-a para a UPA 24hs. Era tão grave, que, saiu da triagem diretamente para a consulta médica e sem demoras foi medicada. Tivemos que ficar no pátio da UPA por algumas horas em observação.

A reação depois da medicação me deixou espantado. Os olhos dela estufaram, ficaram num vermelho vivo. Ela reclamava mais ainda mais do formigamento nas mãos e nos pés. Gritava de dor; passou a vomitar. Foi levada para o interior da UPA para ser acompanhada. Estava junto dela o tempo todo.

A médica, uma menina, jovem, muito atenciosa veio várias vezes fazer o acompanhamento. Fez algumas perguntas, interagiu com ela e comigo. Disse-nos que, não havia outro tipo de medicação mais forte e poderosa que pudesse ser aplicado. O mais forte havia sido aplicado. Receitou ebuprofeno para ser tomado em casa.

Na quarta-feira, tudo novamente. Mesma coisa. Passamos os demais dias nesta agonia de não saber o que é que provocou tal situação. Foram estes dias de acompanhamento à minha esposa, bem como, a moto que parou de funcionar – de novo. Tem que ir passar por uma revisão geral; o celular, graças a pessoas do bem, foi encontrado e me foi devolvido ontem.

Mas, por agora, hoje 30 de agosto. Temos dado como vencido estes dias ruins.

A análise de uma mente comum, é que, todos nós estamos sujeitos a dificuldades. Algumas outras mentalidades julgam que, pessoas como eu e minha esposa, na verdade sofremos “de uma forma de justiçamento de Deus”. Até houve quem me disse: “A mão de Deus pesará mais e mais sobre vocês”. Para nós, esta visão, nada mais é do que uma visão distorcida do caráter de Deus, que Jesus, nos ensinou a chamar de “Pai nosso que estás nos céus” é assim que cremos”.

A consciência e os valores morais nos controlam!

Institivamente com toda sua força, arrasta seu braço e com sua mão, seja ela direita ou esquerda, arremessa em direção ao zumbido ao pé do ouvido. Institivamente com toda foça e arrojo possível você usa suas mãos em direção ao que julga ser uma muriçoca. Institivamente você usa suas forças motrizes em qualquer direção na intenção de abater uma mosca, um pernilongo, um inseto, um ser ignóbil qualquer. Você é capaz de matar sem sentir culpa. O que é diferente é o tamanho moral ou existencial da vida que você extermina.

Em qualquer das situações acima descritas, em momento algum, se questiona o direito e ou o desejo de se querer eliminar um outro ser que incomoda. Não há nenhum sentimento de repulsa. Não há questionamento moral. Não há questões éticas ou de outra natureza que possa fazer com que se inquira a validade do ato.

Todos temos estes intentos. Todos temos estas atitudes. Muitos não questionam os valores morais envolvidos. Muitos movimentos questionam a utilidades dos animais em laboratórios, sem, questionar outros, muitos outros atos que voluntários ou involuntariamente fazemos. São questionamentos diversos.

O que é que fazemos sem que se acenda a luz do valor moral? O que é, ou, o quanto é que praticamos sem que a consciência nos aticem os sentidos? Todos nós cometemos atos que passam abaixo do radar de nossos valores morais. Eu, por exemplo, em momento agudo, muito me questionei se seria ou não capaz de cometer um ato atroz.

Você que lê este texto pode ficar espantado! Mas, é a verdade! Vivemos em constante conflito de valores. Já pensou em matar alguém? Já se torturou por isto? Quantas vezes já esteve na encruzilhada do destino? Quantas vezes já pensou em fazer e reagir de forma destrutível e dolosamente culposa? Quantas vezes agiu de acordo com seus pensamentos?

Isto é o que nos diferenciam de milhares de outros humanos que agem de forma inconsequentes e impensadas. Muitos são vítimas de seus instintos. Outros apenas seguem suas naturezas sádicas, masoquistas, psicopatas e desajustadas! Milhares, a nossa semelhança conseguimos pesar a consequência dos atos com as penas a serem pagas. Outros não sabem o que fazem, e, muitos fazem o que não sabem e não tem consciência das pensas do que realizam.

Nós outros, temos consciência moral, ética e valores multifacetados que nos impedem de cometerem certas atrocidades. Ainda bem! Para encerrar a tirinha a Mafalda. Antiga, é verdade, mas, sempre atual.

Vídeos novos no canal: Como trocar fundo de tela do Windows 10

Dois vídeos novos no canal do Youtube.

Ambos os vídeos tratam de um tema apenas: como trocar a imagem de fundo da sua tela de computador.

Observação: Há versões do Windows Starter, se não todas elas, não permite que o usuário faça a troca utilizando as dicas destes vídeos publicado no canal Adão Braga no Youtube. É limitação da versão do Windows. Há truques disponibilizados e software também na internet que explicam como fazer tais ações em versões limitadas do Windows. Não é o caso dos vídeos abaixo.

 

 

 

 

Full download do Acrobat Reader atual e antigos

As vezes se tem a necessidade de fazer o download de uma versão antiga do Adobe Acrobat Reader. Eu tive esta necessidade ontem à tarde. Procurei em CD´s, drivers, backups e não encontrei uma mísera cópia de uma versão 8 ou 9 do leitor de PDF da Adobe. Hoje, com mais tempo e calma localizei o endereço do FTP da Abobe para fazer o download da atual versão do Acrobat Reader, e também, de versões mais antigas.

O link: ftp://ftp.adobe.com/pub/adobe/reader/win/ você encontrará o que procura em relação a download do Acrobat Reader.

Em breve: estar ou ficar triste será discriminado e punível

 

Um triste cenário se aponta para a humanidade. O cenário é mais trágico, cômico, sádico, perverso do que minha vã imaginação pode criar, sustentar, descrever em matizes, sons e sentimentos. Afinal, é um futuro em que, tudo indica, quem estiver vivendo de um lado, não saberá explicar e entender o outro lado. O outro lado, de igual forma, não saberá o que há de errado consigo mesmo, tanto quanto, não saberá explicar as diferenças.

Esta realidade se concretizará quando se eliminará do dicionário e das explicações cotidianas a tristeza, o sentimento de melancolia, abatimento, sofrimento, solidão, isolamento. Estamos caminhando para a completa extinção dos sentimentos negativos

As redes sociais, a semelhança de movimento anterior, o do pensamento positivo, os conceitos dos livros e dos movimentos de autoajuda em que se apregoam a felicidade, o amor, o sucesso, o se sentir amado, feliz, satisfeito, conquistador de inúmeros e reconhecidos prêmios, destaque na empresa, na igreja, na família, na sociedade… tudo isto fará com que, o outro lado, por não ser assim, por não conseguir ser isto, aquilo e mais aquilo, não saberá se situar nestes tempos.

Caminhamos para a realidade da exclusão, e tanto quanto pior, exclusão social de quem, mesmo tendo tecnologia, família, redes sociais, não se agrupar, associar e saber dizer, ou apenas dizer, exprimir: Hoje estou me sentido: amado; poderoso; abençoado… mesmo que seja uma inverdade, mas, que deve dizer à sociedade que estás feliz, satisfeito, contemplado, …

Infelizmente, como pessoas estamos excluindo as pessoas que são verdadeiras em seus sentimentos. Não vejo com desprezo, com mau olhado, desdém, negativamente quem está triste, com problemas pessoais, familiares, sócias, desajustes. Esta situação é comum entre humanos comuns.

Porém, não é um comportamento ou sentimentos que, na atual sociedade, e principalmente nas redes sociais, assumir-se como triste; estar desolado por ter perdido na prova do concurso; no vestibular; no ENEM. Ficar triste, deprimido, passar uns dias na solidão, solitário, reflexivo, isolado… isto está sendo, aos poucos PROIBIDO!

O pior cenário do futuro será não se saber explicar o que é que acontece com quem estar triste; pois, a tristeza, será tratada como doença. Igual a febre, que, é indício de que algo está errado, mas, deve-se esperar a manifestação do evento para descobrir do que se trata.

Num cenário piorado: os tristes, serão vistos como desajustados sociais; serão perseguidos; serão excluídos da sociedade, tais como os leprosos foram no passado.

Em breve, ser e ficar triste será punível. Sabe Deus com quais penas.