Como era a atuação do PT e aliados, antes e depois da PEC 241

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmailby feather

A Emenda 241 foi aprovada na primeira votação. Isto quer dizer que a mudança, depois da tramitação concluir, a Constituição brasileira terá mais esta parte incorporada ao seu conteúdo.

A partir de agora será intensificado a massificação de que a proposta do “governo golpista” contra o povo está sendo praticado. Já espero que vá aparecer muitos “especialistas” em educação, saúde, segurança, contábil, fiscal […] com as mais inovadoras explicações, apontando outras soluções, que, antes da PEC 241 eles não sabiam o que fazer; não quiseram fazer; não fizeram propostas, nem “botaram a cara” na frente de nenhuma proposta que mudasse a situação fiscal e contábil do Brasil.

Vão querer convencer a opinião pública de que a saúde, a educação, a segurança, a infraestrutura serão os mais prejudicados; que os pobres é quem pagará mais; os pobres sofrerão muito mais do que os ricos; que os ricos deveriam pagar 99% de suas riquezas… e outras coisas, tipicamente deles. São pessoas que, em minha opinião, tem algo contra as empresas, contra o lucro, contra o capitalismo, contra a organização contábil, fiscal de um país.

O munícipio, o Estado e o Brasil devem se profissionalizar a sua gestão pública. Uma empresa bem gerida em todos os aspectos existentes, é muito melhor de trabalhar.

Por óbvio, se o país for bem gerido, se o pais tiver regras necessárias de controle fiscal e contábil tal qual é exigido das empresas, médias e pequenas, é sabido que a saúde financeira melhora; a situação dos funcionários melhora; a empresa pode fazer novos empreendimentos, expandir-se, fazer mais contratações, pagar por especializações dos funcionários, melhorar o ambiente de trabalho, modifica todo o contexto e a existência da empresa no mercado.

Se funciona nas empresas por que não funcionará para o Brasil?

Se é um princípio contábil estabelecido e firmado como um dos pilares administrativo: Gastar até o limite do que se arrecada; ou, cada crédito equivale a um débito; gaste bem e melhor seus rendimentos; […] tudo isto está aí disponível em apostilas, cursos, vídeos, livros, revistas como sendo parte do segredo para se ser rico, bem de vida, por que agora é criticado e visto como um mal para o Brasil?

O que Dilma dizia e queria fazer e não FEZ!

Eu estranho estas pessoas que estão criticando a aprovação e a desnecessidade de tal regramento contábil e fiscal para o Brasil. Antes de Dilma e o PT cair em descrédito era o que eles queriam, pensava e tentaram fazer, mas, não conseguiram.

Abaixo transcrevo palavras de Dilma e da reportagem do El país:
Dilma garante reduzir gastos.


A presidenta Dilma Rousseff garantiu nesta terça-feira que o Governo vai cortar na própria carne, ou seja, reduzir os próprios gastos, em nome do ajuste fiscal necessário para o equilíbrio das contas públicas.

[…] a presidenta disse que o Governo promoverá “um grande corte“. “Vamos cortar despesas correntes e temos de racionalizar os gastos do Governo”,

[…] fará tudo para atingir a meta fiscal estabelecida pelo ministro da Fazenda,

[…] exige um aumento de receitas e redução de gastos para fechar a conta do Governo.

[…] os cortes são necessários para reduzir o déficit atual. No ano passado, o setor público registrou um saldo negativo de 0,64% do PIB.

[…] para reverter o quadro, e não deteriorar mais o quadro atual, o Governo começou o ano anunciando o fim de subsídios ao setor privado, e o aumento de tarifas.

[…] fará a economia necessária para retomar as contas equilibradas. O tamanho do corte que será anunciado ainda não é conhecido, mas já se especula que ficará por volta de 80 bilhões de reais.

[…] A entrevista da presidenta à agência de notícias, que tem como público alvo investidores e especialistas do mercado financeiro, ocorreu no mesmo dia em que o Tesouro anunciou um saldo negativo de 2,3 bilhões de reais do setor público.

[…] o Governo Federal quem mais contribuiu para deixar as contas no vermelho: um déficit de 7,357 bilhões de reais;

[…] Dilma afirmou que a redução do rombo no orçamento ajudará a retomar a confiança na economia apontando para uma retomada rápida do crescimento.

[…] O ajuste fiscal tornou-se uma questão de vida ou morte para o Governo Dilma.

Tem o documento no site da Fazenda: Reforma Fiscal de Longo Prazo que mostra no PDF o planejamento do governo Dilma para o Brasil. Agora o PT e aliados dizem que é mentira. Mas, a internet não deixa nada ser esquecido.

Eles são muito estranhos e esquisitos …

É muito estranho estas pessoas ligadas a Dilma, ao Lula, ao PT, aos partidos de esquerda do Brasil. Eles sabiam e defendiam que era necessário fazer isto.

O governo petista reconhecia a necessidade de ser feito isto, mas, agora estão todos contra. Estão todos lutando contra; estão ferrenhamente fazendo campanha contra.

É uma gente tosca e limitada, estranhamente antiéticas!

Como é que vou acreditar em pessoas que, uma hora defende algo como certo, correto e necessário; tenta fazer e não conseguem. Então outra pessoa, outro governo, vai lá e faz o que eles diziam ser necessário fazer, porém, como não foram eles que fizeram, mudam de lado e passa a defender o contrário e criticam o que eles queriam fazer, mas, quem fez foi o outro?

Ô gente sem noção e esquisita!

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmailby feather

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *