VisualG – digitar o nome de 5 alunos e a média de cada aluno

Eu sei o básico, o comum da área de programação de computadores. Se tiver que fazer um programa, garanto que faço. Os meus problemas são de “outro nível” como sempre repete meu filho. Eu não sei programar eficientemente; não consigo produzir eficazmente; nunca conseguir fazer programas e mantê-los de forma a manter-me econômica e lucrativamente.

O que sei de programação é o suficiente para entender o tema e responder algumas coisas básicas. Não domino nenhuma das linguagens de programação existentes. Não tenho, nem mantenho nenhum programa de minha autoria. Mas, sei o suficiente para responder perguntas como estas que me enviaram nos comentários.

Faça um algoritmo que auxilie um professor, solicitando que digite o nome de 5 alunos e a média de cada aluno, posteriormente mostre em forma de tabela (matriz) o nome de cada aluno e suas respectivas notas.

Observo que na questão, não é solicitado “CALCULAR A MÉDIA“, e sim, a digitação das referidas médias e a listagem dos nomes dos alunos e de suas médias. Sendo isto, eis abaixo o código:

Este código acima faz o seguinte:

  • Na linha 3 fiz a declaração do vetor alunos.
  • Este vetor “alunos:vetor[1..5] de caractere” receberá os nomes dos alunos;
  • Na linha 4 fiz a declaração do vetor notas.
  • Este vetor “notas:vetor[1..5] de real” receberá as notas dos alunos;
  • Da linha 7 até a linha 12, é executado o laço: “Para i De 1 Até 5 Faça” que repetirá 5 vezes as linhas 8 a 11.
  • Nestas linhas de 8 a 11 será perguntado o nome do aluno e a nota de média dos mesmos.
  • Da linha 16 até a linha 20 é executado o comando de exibição “escreva (alunos[i], ” teve a média de …: “, notas[i])

O resultado na tela é assim:

Adão Braga: Canal de vídeo no youtube

Desde que iniciei o projeto: Adão Braga: Canal de vídeo no youtube, em pouco mais de trinta dias já fiz e publiquei 23 vídeos. Sigo a proposta de criar e publicar vídeos sobre o uso dos recursos da informática no dia a dia.

Estes primeiros vídeos, a maioria deles, são relacionados ao editor de texto da Microsoft, o Word 2013.

O conteúdo dos vídeos pode ser aplicado até na versão Microsoft Word 2007. Eis abaixo a lista de todos os vídeos públicos no canal Adão Braga no Youtube.

  1. TCC: como fazer uma tabela do Word somar uma coluna ou linha– Duração: 104 segundos.
  2. TCC: como fazer os ajustes de uma tabelaJá assistiu. – Duração: 105 segundos.
  3. TCC como inserir tabela; como inserir colunas, linhas e fazer mesclagem de células– Duração: 70 segundos.
  4. TCC: como criar uma lista numerada e subnumerada.– Duração: 83 segundos.
  5. TCC: criando lista com marcadores; utilizando marcores para criar listas– Duração: 77 segundos.
  6. Como fazer uma capa de TCC: alinhamento de capa justificado– Duração: 88 segundos.
  7. Como fazer uma capa de TCC: alinhamento de capa centralizado– Duração: 73 segundos.
  8. Faça o sumário primeiro e navegue melhor e mais rápido no trabalho de TCCJá assistiu. – Duração: 82 segundos.
  9. Faça uma citação longa com um clique!Já assistiu. – Duração: 73 segundos.
  10. Como fazer uma citação longa em dois cliques– Duração: 65 segundos.
  11. Fazer Sumário depois do TCC prontoJá assistiu. – Duração: 83 segundos.
  12. Corrigindo a numeração dos títulos do sumário– Duração: 86 segundos.
  13. Como modificar os Estilos Título 1 e Titulo 2 do Microsoft Word 2013– Duração: 57 segundos.
  14. Como fazer um sumário de ilustraçõesJá assistiu. – Duração: 81 segundos.
  15. Copiar e Colar para facilitar o seu sumário;Já assistiu. – Duração: 51 segundos.
  16. Criando sumário, inserindo subtítulos, atualizando sumário– Duração: 74 segundos.
  17. Aprender a fazer sumários– Duração: 74 segundos.
  18. Como remover ecos quando vou gravar no Sound ForgeJá assistiu. – Duração: 71 segundos.
  19. Como configurar a data e a hora do computadorJá assistiu. – Duração: 67 segundos.
  20. Windows 10 – Papel de Parede metodo 2Já assistiu. – Duração: 83 segundos.
  21. Windows 10 – Trocando o papel de parede– Duração: 51 segundos.
  22. Configurar tamanho do papel padrão ABNT A4Já assistiu. – Duração: 69 segundos.
  23. Configurar margens para o TCC no padrão ABNTJá assistiu. – Duração: 46 segundos.

O direito à preferência na fila, não é passaporte para a má educação

Tem muita coisa no país Brasil que necessitamos por fim. Algumas, são influências; outras são leis; outras são do senso comum; muitas já fazem parte da cultura de nosso povo. Tem uns direitos, que, para mim, ferem o direito de outros; e alguns direitos, permitem que aproveitadores usem a seu favor. Por exemplo, é o caso dos “direitos especiais” para aqueles que, diz a lei, deve ter preferência especial nas filas, acesso especial, e, cuidado especial.

Nada contra haver leis para beneficiar pessoas em situações tais. Mas, tudo contra os aproveitadores. Tanto quanto reconheço, que, se houve a necessidade de legislar a questão, é por que, pessoas em estados especiais, não gozavam das gentilezas e educação de nós outros, a ponto, de ao reconhecer uma pessoa nestas condições oferecer-lhe o lugar, proporcionar-lhe um alívio; evitar que tenha sua saúde ou condição piorada!

Hoje! De novo, e mais uma vez, no instante em que chega a minha vez de ser atendido na loteria, me chega uma senhora. Logo, que a vi, percebi que tem uma perna menor do que a outra, e, por isto, diz a lei, tem direito à preferência. Nesta loteria, pela segunda vez, tenho atrito com as pessoas por este motivo.

A vez anterior chegou um senhor, e, sem nada dizer, atravessou a minha frente. Protestei! Ele GRITOU que tinha idade para ser atendido como preferencial e que estava dentro dos direitos dele, que não devia nada a ninguém!

Indaguei-o se o direito que lhe fora concedido também lhe permitia ser mal-educado, e, ir tomando a frente sem nada dizer. Sem ao menos dizer “boa tarde! “, “dá licença! “, “Gente vou entrar aqui na frente de vocês”. Ir chegando e entrando na frente das pessoas que estavam a muito tempo a esperar!

Ficou constrangido e nada mais!

 

Hoje a mesma coisa aconteceu com senhora “perna curta! “.

Ela foi chegando e entrou na minha frente. Ela, primeiro deu o “migué” de perguntar: “Aqui paga isto? “. Quis saber do limite para saque. Não demorou 20 segundos chegou um senhor e entregou-lhe papeis a serem pagos; entregou cartões para sacar dinheiro e outra coisa a ser feita.

Era minha vez na fila. Fui para o caixa. A mulher do caixa se recusou me atender!

– Eu tenho que atender a ela que é preferencial!

– Concordo não! Ela chega e vai entrando na frente; sem falar nada; sem pedir licença; sem dizer que tem preferência.

Para mim, ser preferencial não dá direito a ninguém ser mal-educado. E se a loteria não tem um caixa preferencial, que coloque alguém para gerenciar as preferências.

O homem, que para mim, é o que aproveita da condição física daquela senhora, disse a ela para deixar eu passar na frente, que eu, que era mal-educado, e, que não respeitava os direitos dos outros.

– Ela tem a preferencial e o senhor? O que é que tem para entrar na minha frente? – Perguntei a ele! Que ela fique em casa e o senhor venha fazer o que tem que ser feito. E de forma irônica e sarcástica disse mais:

– Ah! Entendi qual é as preferências do senhor! De uma próxima vez, trarei minha esposa grávida ou vou trazer minha vovó que é aleijada!

As pessoas que estavam na fila se dividiram. Parte deles, apesar de não terem a coragem de protestarem, concordaram com a minha reclamação. Outros ficaram contrários e me recriminaram: “ela tem deficiência”.

E eu respondi:

– Ela tem deficiência. Por que ele, que não tem deficiência alguma usa a deficiência dela para entrar na frente de todos nós? Estas espertezas para cima de mim não cola não!

Direitos à preferência e leis existem, mas, devemos nos insurgir contra estes aproveitadores.

Reclamo mesmo!

O direito à preferência, não é passaporte para a má educação, tão pouco, nos entorpece a ponto de não reclamarmos destes aproveitadores das deficiências e preferências que a lei concede a quem de direito.

O maior canal com dicas de como usar o editor de texto para fazer um TCC

Minhas pretensões são modestas em relação ao Canal de vídeo de Adão Braga no Youtube.

A minha pretensão é gravar mais de uma centena de pequenos vídeos explicando como usar bem e melhor os recursos dos editores de textos para economizar tempo, ou, que seja também, produzir mais, com melhor qualidade, com menor tempo.

É a supremacia! Imagina você economizar tempo e trabalho na confecção do seu Trabalho de Conclusão de Curso com todas as dicas que vou divulgar em vídeo. Então será isto.

Os vídeos, se depender de mim e dos critérios adotados não ultrapassarão os 80 segundos, ou seja, cerca de UM MINUTO E VINTE SEGUNDOS! Penso ser desnecessário muitas explicações. É até chato, você querer saber uma coisa, um item só, e ter que assistir a um vídeo de oito, dez, doze, quinze minutos com muitas explicações e dicas que você não precisa.

Em minha visão, do ângulo que observo, milhares de universitários, buscam dicas rápidas de como encontrar uma explicação de como fazer algo no software. Nada além! Como, por exemplo: onde é que encontro o botão de inserir nota de rodapé?

São coisas, eventos e processos que muitos editores e profissionais da digitação o fazem em questões de segundos. Assim, penso que também em questões de segundos se pode saber como é que se faz isto e aquilo.

Há no Canal de Vídeo de Adão Braga no Youtube vários vídeos de pouco mais de 80 a 90 segundos. Visite o canal. Veja abaixo a listagem dos 10 vídeos do canal com maior número de visualizações.

 

Lembrete:

  • Com exceção do vídeo 1, que foi uma solicitação de uma internauta, todos os demais vídeos não ultrapassam os dois minutos. Não uso vinheta; não uso recursos visuais que alongam o vídeo.
  • São vídeos simples e rápidos para explicar a necessidade específica: como é que faço isto? Como é que configuro isto?
  • São vídeos simples, claro, curto e conciso. No ponto! Sem efeitos “extraordinários e somente o necessário”!

Eleição 2016 em Irecê: Luizinho Sobral será reeleito? Elmo Vaz será eleito? Dorinha Lélis surpreenderá?

Hoje um amigo me perguntou e pediu-me a participação em um tipo de “bolão” sem compromisso ou aposta. A proposta é simples: embasado em informações sobre a política da cidade de Irecê, cada um dos participantes anota o seu nome ao lado do nome do candidato a vereador e a prefeito com os respectivos números de votos, que se pensa, terá o candidato.

A minha base para os candidatos a prefeito em Irecê, é uma informação simples, faço a divisão do total de votos em 3 partes; sendo que, as duas partes iguais são divididas entre os antagonistas principais; a última parte é dividida entre outros candidatos; nulos, brancos e abstenções. Para exemplificar o que penso é só olhar como ficou formatado o resultado das eleições municipais de 2012. Veja a imagem abaixo.

Fonte: http://g1.globo.com/ba/bahia/apuracao/irece.html

A compreensão é simples.

Em Irecê, nas eleições de 2012, tinha 43.802 eleitores. Este número é o total de inscritos no tribunal regional eleitoral de Irecê. Ou seja, em 2012, Irecê tinha 43.802 pessoas aptas a votarem. Não entro em outros méritos e debates.

43.802 dividido por três dá: 14.600. Assim, o que penso, é que, do total geral de eleitores, os dois principais candidatos receberam pelo menos, cerca de 14.600 votos.

Com base nos números de 2012:

  • 14.600 votaram em Luizinho Sobral;
  • 14.600 votaram em Zé das Virgens;

Os outros 14.600 ficou assim dividido:

  • 8163 não compareceram para votar;
  • 1823 anularam o voto;
  • 653 votaram em branco;

Luizinho Sobral e Zé das Virgens disputaram então os 3961 votos restantes:

  • 2138 votaram em Luizinho Sobral + 14600 = 16.738 votos
  • 1375 votaram em Zé da Virgens + 14600 = 15.975 votos

Ou seja, o candidato que conseguiu a sua cota de votos, mais, a maior parte desta terceira parte dos eleitores, venceu! Isto é até obvio, porém, a disputa é no terceiro lote de eleitores. É aquele eleitor que diz não se envolver, diz não gostar de política; aquele que diz que os políticos são todos iguais… etc. É ele quem vai lá e decide para um lado ou para outro. Nas últimas eleições em 2012, Luizinho Sobral obteve a maioria dos indecisos e indefinidos.

Nestas eleições de 2016, acontecerá novamente? Pode não obter, como pode também, obter todos os indecisos e indefinidos. Tanto Luizinho Sobral, quanto Elmo Vaz terão esta cota de votos, pois, pelo que se percebe, são os dois principais candidatos que disputam. A candidata Dorinha Lélis, concorre, porém, é do senso comum, que é, desde o início da corrida eleitoral, a terceira colocada. Como em política, nada é o que parece, a Dorinha Lélis pode muito bem ser a que disputará o cargo com o atual prefeito que tenta a reeleição e não Elmo Vaz!

Em Irecê, podem verificar as eleições anteriores, sempre há uma grande percentagem de abstenções, em 2012, foram quase 20%. Há cerca de 6% de nulos e cerca de 2% dos votos brancos.

São desproporcionais as causas e as consequências; é irregular a relação de isso, por causa disso; se isto, então aquilo.

Quando eu era criança, a coisa gostosa era assistir filmes de Westem, do Oeste, como queira, ou, aqueles clássicos faroestes italianos. Naquele tempo, em que eu assistia, a sensação era de que, sempre dependíamos de alguém perito, ágio, rápido e com valores morais evoluídos a ponto de se colocarem, sem serem institucionalizados, como aqueles responsáveis por defender os valores justos, corretos, verdadeiros e capazes de livrar o oprimido de seu opressor.

Os filmes recentes, tem apostado no argumento de que, até os bandidos agem baseados na lei, e, que, mesmo tendo feito algo ruim, ter feito algo errado, há algum tipo de lei, em que se sustente a sua tese e a sua cruel natureza, perversa e criminosa. Quando falta argumentos críveis, se justifica com a pobreza; dizem que foi a falta de opções; que no passado ele fora injustiçado e agora a vingança é a única lei.

Re-assistir The Magnificent Seven (Sete homens e um destino), a versão da década de 70, que, para a felicidade das gerações futura, está sendo regravado. Eram épocas diferentes. Eram valores diferentes. Era uma época em que o racismo era negar a um índio morto o devido sepultamento; era época de segregação racial, social, econômico, mas, que a arte já se propunha a debater e recriminar; não este atual jeito irritante de ser o “politicamente correto”

Ao tempo em que assistir este clássico da arte cinematográfica, também assistir ao filme atual Marauders (2016) com Bruce Willis. O filme de 2016 apresenta a atual sugestão de sociedade. O mal, a vingança, o poder, a desonra impera. Quando era menino e que brigava na rua, até certos adultos em derredor permitiam que brigássemos para resolver nossas diferenças. Hoje não! É comum uma briga por causa de uma bolinha de papel acarretar a morte do tal agressor. São desproporcionais as causas e as consequências; é irregular a relação de isso, por causa disso; se isto, então aquilo.

O mundo já foi melhor! Porém, como apocalíptico que sou, ainda pode piorar, e ficar ainda péssimo, horrível, e até de fato, insuportável. No tempo do filme antigo, se esperava que se agisse com justiça, defesa dos oprimidos; em favor dos desguarnecidos. No entanto, hoje, este é grupo que mais sofre, pois, quem tem acesso a armas, mutilam, matam, assaltam estes, pois, os ricos e poderosos estão inacessíveis, longe desta realidade.

E mais, até há movimento de parlamentares que defendo os bandidos; os agressores, o que faz, com desejemos ser protegidos por xerifes, pistoleiros e outros, que tenham coragem de formar grupos de resistências, porém, se isolando do outro lado, que são os milicianos, que também, são tão ruins quanto os bandidos de fato.

A comparação entre as épocas de ambos os filmes é: antes se reagiam às maldades e promoviam a justiça; hoje, se querem perpetuar as maldades como sendo justiças sociais.

Uma total inversão dos valores sociais, econômicos, morais e das virtudes. O que é muito lamentável.