Como é que os problemas da política do governo atingem a nós técnicos de informática

A vida dos profissionais ou de pessoas como eu e também de empresas que tem como fonte de renda a prestação de serviços, somos, entre os muitos segmentos sociais existentes, os primeiros grupos de pessoas do país a sentir os efeitos da desvalorização da moeda, a perca do poder de compra, a desvalorização do dinheiro em relação ao serviço prestado, numa relação com x serviços realizados, obtenho y; ou, com x reais compro isto, aquilo, aquilo outro.

Funciona assim:

Faz uns três anos eu e minha família fomos comer em um restaurante. Éramos quatro pessoas. Três adultos e uma criança. A criança, além de comer, tomou um suco de cupuaçu, e um sorvete. Os adultos tomaram três cervejas, e 1 litro de refrigerante. O total pago foi de R$ 46,10. Arredondaram para R$ 46,00 e ficamos neste valor.

Esta refeição atualmente para nós quatro, é quase o dobro do valor. Há três anos, estas despesas eu tinha que fazer UM serviço de R$ 50,00 e já poderia ir desfrutar lá, a boa comida, a bebida e o bom atendimento. Para pagar as despesas deste restaurante, na mesma situação anterior, tenho que fazer DOIS serviços.

Quando nós, por esta situação aumentamos o valor do serviço, a categoria dos profissionais dos serviços é logo responsabilizada pelo o aumento da inflação, que, devido à alta nos preços dos serviços elevaram os índices do Preço ao consumidor e muitas outras coisas que os especialistas em economia explicam e falam.

Já estivemos em situação melhor, mas, no cenário atual, com baixo crescimento econômico, inflação em alta, perspectiva futura incerta, nós não podemos ficar reféns da situação, e o que nos resta, é de fato contribuir para a piorar a situação, que é, aumentar o valor dos serviços. No final, quem paga mais, é sempre nós mesmos. Eu pago mais no restaurante, no açougue, no verdureiro, no bar, na escola … e, por conta do aumento em nosso redor, somos obrigados pelas circunstâncias a aumentar nossos valores.

Há na região de Irecê, pessoas que fazem formatação de computadores por R$ 30,00. Não vou debater qualidade dos serviços, por que nenhum deles fizeram serviços para mim. Mas, eu vejo neste valor, um preço prostituído. Pior: prostituído por baixo valor. E, isto, dificulta para todos. Para ir num restaurante cobrando R$ 30,00 por preparação de um equipamento para uso familiar ou empresarial terei que fazer TRÊS computadores. Terei que atender TRÊS clientes.

Outra comparação que sempre faço, é com a profissão de pedreiro. Meu pai dizia que eu deveria estudar para não ter a vida sofrida que ele teve como pedreiro. Segundo ele, a profissão era digna, era honrada, recebia um valor justo por cada serviço, MAS, as atividades, o dia-a-dia de um pedreiro era muito árduo, e o pior, quando se termina as obras, normalmente o nome que vai na placa é do engenheiro, do arquiteto, ou, por outra: reconhecimento mínimo. Por isto e outras questões ele exigia que eu estudasse, pois, quem estudava, naquela época, era para ter uma vida com menos força física. Hoje não! Os pedreiros têm equipamentos que lhes facilitam a labuta, bem como, tem renda, em muitos casos maior do que, quem é formado em alguns cursos.

Um pedreiro médio ganha por dia entre R$ 90,00 e R$ 120,00. Este valor tem variações para maior. Há regiões em que a diária de um pedreiro é mais de R$ 200,00. Ai, vem os argumentos: Os pedreiros se especializaram; os pedreiros têm custo alto com os equipamentos, os pedreiros têm responsabilidade. … etc. Tá! é justo a diária de um pedreiro, mas, é caro deixar seu equipamento funcionando, com antivírus instalado, com drivers atualizados, com Java atualizado, Adobe Reader funcionando, Office pirata funcionando ou LibreOffice instalado, impressora, rede, software específico da empresa rodando, internet, firewall, internet banking, certificados digitais …etc. Em muitos casos, ter o cuidado em fazer cópia de segurança de fotos, vídeos, músicas, trabalhos de faculdades, … tudo isto, tem que ser por um preço baixo.

O que quero dizer com esta comparação com o pedreiro, é que, não deveríamos fazer certos serviços de informática por menos do que a diária de um pedreiro, pois, do contrário, nós não empataremos as despesas com as receitas nunca. Pois, tudo está aumentando. Tudo tem aumentado. Tudo está mais caro! Então inevitavelmente, o valor dos serviços também devem seguir a tendência e aumentar.

Outro dia, um gestor de uma clínica me pediu um Orçamento de recuperação dos dados de um HD Externo que estava dando mensagem de arquivos corrompidos. Depois de analisar o estado do HD estimei o valor em R$ 1,50 por cada Gigabyte recuperado, o que, nos cálculos feitos, o preço máximo do serviço seria de R$ 750,00, se, e se, somente se, todos os dados fossem úteis e recuperados. Ele saltou acolá com um sorriso amarelo e me disse: “eu vou ser é técnico de informática”. Ainda tem isto!

A candidata Dilma, em seu site de campanha, continua a prometer mais dinheiro para a saúde, que continua com problemas sérios de gestão.

A imagem abaixo, com exceção da seta azul que foi eu quem a colocou, é do site da campanha da candidata Dilma do PT à reeleição.


Pois bem. O que é que você pode observar na imagem, a sugestão é que, desde o ano 2003, primeiro ano do PT no governo com o “melhor-presidente-que-o-mundo-teve” no Brasil, que o investimento em saúde só fez subir. Tá, e daí? O que é que tem de, demais nesta imagem? Para responder a pergunta, pense nestas outras questões:

  • Se isto é verdade, e não tenho dados para desmentir a informação, qual é mesmo o problema com a saúde brasileira? Evidente que não é falta de dinheiro!
  • Em que dentro do escopo do tema saúde que o governo gasta tantos bilhões e não temos a sensação de melhora?
  • Se é verdade, por que as estatísticas apontam para diminuição dos leitos, falta de pagamento de fornecedores, insatisfação da classe médica?
  • Por que, com 30 bilhões o governo conseguiu realizar a copa do mundo com relativo sucesso, e com 106 bilhões não temos melhoras nos nossos hospitais, postos de saúdes, e melhor e mais acesso a exames, acompanhamentos laboratoriais?

Certamente que o problema do tema saúde, não é dinheiro! Certamente e evidente pela informação que não é recursos do governo. A presidente Dilma respondeu estas questões em setembro de 2011. Eis abaixo na imagem e no link.


Tenho dois links:

1 – Dilma admite que saúde tem problema sério de gestão;

2 – Dilma admite o que eu já sabia: somos incompetentes.

Ou seja, na campanha, ou, em campanha para reeleição a candidata Dilma, na minha opinião, já está mal. Afinal, passaram-se todos estes anos, o que eles tem feito é injetar recursos, dinheiro, dinheiro e dinheiro, e resultados positivos, ganhos sociais, melhoramento da saúde, disponibilidade de mais exames, mais consultas, tratamentos especializados… bem! Isto, eu garanto: continua o problema sério de gestão na saúde nacional.

Ou seja! Se depender da candidata à reeleição, os problemas de gestão na saúde continuarão, pois, o que eles sabem fazer é apenas isto: transferir recursos e responsabilidades. Saber fazer que é bom! Nada!

O que é que podem fazer de tão INOVADOR para revolucionar a seleção brasileira?

O assunto hoje mais comentado ainda é a seleção brasileira, as derrotas recentes (7×1 e 3×0) a demissão de Felipão e toda a comissão técnica, e mais: já é dado como certo o retorno de Dunga e sua turma para o comando da seleção. O que eu entendo de futebol é pouco. Não sou dos que sabem identificar e diferenciar 3-5-2 do 4-4-2 e de 2-5-3… para mim isto é coisa que, quem tem que entender, adotar, fazer funcionar é o técnico.

Se, e tudo indica que será mesmo o Dunga, o que é que posso fazer? Nada! Ouço e leio na internet um grande número de pessoas que dizem entender de futebol, que é uma péssima opção. Alguns até insistem: A CBF está perdendo a oportunidade de uma GRANDE RENOVAÇÃO.

Os comentaristas de futebol queriam, e querem um técnico que inove no futebol, e eu fico aqui me perguntando: O que é que podem fazer de tão INOVADOR para revolucionar a seleção brasileira? O que é que se pode fazer para que o futebol seja diferente do que é?

Eu digo e repito: Querem ver futebol bonito? Comprem os DVDs das copas de 82 e 86! Quem viveu esta época sabe como era alegre, bonito, lindo, magnifico ver a seleção desta época jogar bonito. E, ai, Ganhou? Não! As seleções que ganharam os títulos do tetra e do penta foram aquelas que não jogava bonito e não tinha aquela classe nos passes, não tinha aquele entrosamento, não tinham aquela beleza nas jogadas, não tinham aquela graça nos dribles, aquela leveza, aquela transição da bola entre goleiro, defesa, meio de campo e ataque. Mas, e ai, ganharam o que? Nada!

Eu prefiro uma seleção eficiente. Eu prefiro uma seleção competente. Uma seleção que ataque, marque e saiba se defender. Uma seleção que não faça feio. Uma seleção que ganhe mais do que perca. Uma seleção que marca e ataque com eficiência. Não importa quem seja o técnico.


Há muito mais jogadores do que vagas na seleção. Eu e milhares de outros brasileiros assistimos outros campeonatos e vemos tantos bons jogadores nos times e que já passaram por seleções de bases, jogaram em seleções sub-15, sub-17, sub-20 e no entanto, e apesar de serem bons jogadores no profissional, jamais chegam à seleção brasileira.

Segundo a crítica especializada tudo isto se deve ao comando da CBF, os conluios com empresários, conchavos com certos patrocinadores. Há quem peça a cabeça dos dirigentes da CBF. Há quem diga que as derrotas acontecem porque há muito interesses ocultos nas escalações; que não há mais amor ao futebol; que não há mais amor à camisa.

Se Dunga será bem sucedido na seleção eu não sei! Sei que, se empatar as próximas partidas, ou se perder por apenas 1 x 0 já será uma grande diferença! Por mais que se digam que é necessário inovar, eu, ainda questiono: o que é que se pode criar para INOVAR o futebol? O que é que falta inventar para um time ser INOVADOR? O que é que falta ao futebol brasileiro para que os críticos do futebol pense que já atingiram a inovação?