Há erros crassos de lógica elementar nesta sociologia que defende os criminosos!

Há certos eventos que destoam da defesa obtusa de certos conceitos dos defensores da criminalidade e dos conceitos de que o Estado não deve agir, ou que, em última instância é o Estado e a sociedade os culpados pelos crimes cometidos por jovens de menor idade. A realidade no entanto exibe em cores e truculência, e de forma inquestionável, que o senso comum está com a verdade e que deveria ser levado a sério na questão de punir os jovens infratores.

Muitos defensores dos “menores bandidos” – eles preferem usar a expressão politicamente correta: “menor infrator” – argumentam que os tais se tornam bandidos por:

  • Por faltar escolaridade;
  • Por faltar afeto familiar;
  • Por que existe o capitalismo, o mercado, e o consumismo;
  • Por faltar educação de qualidade;
  • Por faltar quadras de esportes;
  • Descaso do Estado;
  • Por faltar creches:
  • Por faltar aulas especificas sobre artes, músicas, teatro, literatura;
  • Os pais, não ter emprego, trabalho e renda;

As vezes resumem em expressões como: “falta de políticas públicas”, “é a desigualdade social”, “é a pobreza extrema” e, apelam para coisa do tipo: “o sistema prisional não suporta mais tantos presos” (…) por ai nesta linha de raciocínio. Se confrontado com algo como: “quer dizer que, se o país melhorar as condições dos presídios, e aumentar o número de vagas, você concorda em punir e manter a punição aos bandidos menores?” – A resposta é negativa.

A realidade dos crimes vai contra esta ideologia de que os “menores bandidos” são os desassistidos do Estado; são os que faltam acesso à educação; que os pais não tem renda. E, para tal, para contraditar esta ideologia pego um crime que aconteceu em Irecê na última semana, no dia 22/04.


O assassino da Érica Medrado (a engenheira civil que tentou fugir da violência de Campina Grande e foi vítima da violência em Irecê), estudou na mesma escola que meu filho estudou.

Hoje, meu filho mais velho mostrou-o na foto da formatura do ensino básico de alfabetização. Apontou-o no mesmo ambiente de escolarização; apontou-o no mesmo ambiente de educação; ou seja, o assassino esteve em ambiente social de educação, socialização, integração, conhecimento. Meu filho até o momento, tem escolhido o caminho que a maioria escolhe que é: estudar, trabalhar, comprar, pagar, respeitar, saber que o que não tem, não tem direito de tomar do semelhante.

Há fotos do assassino em ambiente doméstico que apontam que o tal não morava em ambiente de “comunidade”, não morava em bairro favelado; tinha acesso às tecnologias; tinha condições econômicas de sustentabilidade alcançadas pelos pais. Há fotos do assassino em ambiente que exibe-se fazendo turismo; há todos do assassino com uma tatuagem, que, é uma arte cara; o assassino usa roupas de marcas.

Tudo isto aponta para a falsidade intelectual da ideologia de que estes menores bandidos o são por que isto e aquilo que listei acima. Não! Não é! Os números dos bandidos infanto-juvenis são reais e desmontam a argumentação ideológica esquerdista. Que é de fato uma falsidade intelectual.

Não apenas jovens delinquentes segue esta situação. Vejo igual situação na morte do Bernardo, lá no sul do país. Aqui é nordeste, e se pensa que aqui é violento por que existem mais pobres, existe maior defasagem social, existem variáveis que favoreça à violência tais como: baixa escolaridade; baixa infraestrutura; baixa renda… e lá nos Estados do Sul, por que tais crimes ocorreriam? Ou a matriz, as variáveis aplicadas aqui não se aplicam lá? A madrasta, a amiga dela, e o pai mataram o Bernardo por que motivos?

Mataram e ocultaram o cadáver do Bernardo e notificaram o sumiço dele por estes motivos abaixo?

  • Por faltar escolaridade;
  • Por faltar afeto familiar;
  • Por que existe o capitalismo, o mercado, e o consumismo;
  • Por faltar educação de qualidade;
  • Por faltar quadras de esportes;
  • Descaso do Estado;
  • Por faltar creches:
  • Por faltar aulas especificas sobre artes, músicas, teatro, literatura;
  • Os pais, não ter emprego, trabalho e renda;

O único item listado acima que poderia dizer que se aplica a eles, seria o item 2. Mas, veja que, o item 2 não é o que responde. Afinal, quem sofria por faltar afeto familiar era o Bernardo, e não o pai e a madrasta, e a amiga desta. Pelo que vejo na TV e na internet, os assassinos do Bernardo tiveram afeto familiar. Assim, o que sofria com a falta de afeto familiar foi também a vítima daqueles que não tiveram a falta do afeto familiar.

Existe muita coisa errada com esta defesa do que provoca a criminalidade, e não vejo elo entre o que eles apontam para a existência atual dos crimes cometidos por jovens bandidos, bandidos jovens, ou, até mesmo por outros criminosos não jovens.

Há erros crassos de lógica elementar nesta sociologia que defende os criminosos, jogando para nós outros a culpa pelo que é de competência intima, afinal, não foi o Estado, nem foi a sociedade quem decidiu que estes criminosos optassem pelo crime. Quando nós tomamos o caminho da moral, da ética, dos valores, dos princípios, foi por que tivemos oportunidade, tivemos opções, tivemos acesso. Os criminosos, nesta mesma situação, são inocentes e vítimas de nós mesmos, a sociedade.

Muitos são contra baixar a idade para que os criminosos abaixo da idade estabelecida atual que é de 18 anos. Elencam muitos falsos argumentos tais como:

– Depois que verem que baixar para 16 não resolveu vão querer baixar para 14, depois, 12, depois 10!

O objetivo de baixar a idade, em minha opinião, não é baixar a violência em si e desta maneira, mas, fazer com que menores criminosos sejam punidos de fato e com eficácia por seus crimes.

Sou dos que não advogo idade maior ou menor. Penso que havendo crime a justiça deve ser acionada, e que, diante dos fatos condenar o cidadão. Seja ele criança, juvenil, jovem ou adulto, ancião: apto ou não.

Se o criminoso é um, por exemplo, um débil mental, uma pessoa limitada por sua condição psicológica e mental, a justiça deve também ter meios de isolar tais humanos nestas condições para que não se aproveitem de sua condição de inaptidão.

Fato é que, o menor que matou a jovem engenheira civil que aqui chegou fugindo de outra região violenta, é até irônico, que tenha sucumbido desta maneira que estava fugindo.

Que a justiça tenha poder para isolar o referido assassino, e que cada um dos argumentos favoráveis à sua condição de menor, e de também vítima do Estado e de abandonado pela sociedade caiam, e que, ele passe anos suficiente nalguma cadeia.

Governo do PT na Bahia lançou campanha publicitária contra a PM três dias antes da paralisação.

Acontece novamente a greve da PM na Bahia. E o que há de novo? A ação premeditada do Governo do PT na Bahia de querer, com muitos dias de antecedência, fazer campanha contra a PM! Eu estranho não a ação de paralisação da PM da Bahia, mas, me é estranho uma campanha publicitária do Governo exatamente poucos dias da paralisação da PM na Bahia. E tal campanha elenca e comenta vários pontos dos reclamantes como realização do Governo.

Tipicamente petista tal conduta. Só pra citar, no dia em que assinaram uns papéis sobre a tal ferrovia baiana, no dia seguinte já havia repórter em Irecê, quase que noticiando que o governador e a presidência haviam construído uma ferrovia, e não assinado uns papeis sobre a ferrovia.

Ao assunto.

1 – O Governo da Bahia afirma que está em constante diálogo com a Policia Militar para novas conquistas.

Neste frame que passa na TV e que pode ser visto no Canal do SECOM no Youtube. (Clique aqui) a impressão que fica para minha pessoa é que o Governo da Bahia começou a campanha publicitária na tentativa de que, quando a PM paralisasse, a população baiana ficasse contra a PM, pois, a propaganda, já avisa que o Governo da Bahia está em constante diálogo com os policiais por novas conquistas, assim, vejo no vídeo uma tentativa de difamação da PM da Bahia e das entidades que representam os policiais, que cito a ASPRA, e a AOPMBA

  1. A AOPMBA diz que o governo do PT na Bahia modificou as propostas de novas conquistas.

Há clara insatisfação contra o que o Governo do PT na Bahia fez com as propostas elaboradas e enviadas ao mesmo. Segundo informa uma das entidades, o governo do PT na Bahia distorceu, alterou, modificou e transmutou o que foi enviado, e, pelo que entendi, quis empurra goela abaixo da PM certos pontos como se foram eles que tivessem propostos ou haviam concordado com aquele texto.

2 – O Governo diz que tem Promoção para Oficiais e Praças.

Esta parte da propaganda do governo me faz pensar que de fato, a campanha publicitária tem por alvo o descrédito e a desvalorização da PM. Afinal, se o governo da Bahia, distribui uma peça deste tipo, e com tal texto, com tal informação, é evidente que é objetivo do governo, enfraquecer o argumento das citadas associações de PM na Bahia.

 

Fica evidente e claro que o Governo da Bahia começou esta campanha com o objetivo de minar e acabar com o que as associações da PM reclamariam neste movimento de paralisação, pois, os pontos da propaganda do Governo da Bahia praticamente fala apenas dos pontos que as associações reclamam.

Ou seja, as associações reclamam que os diálogos não foram respeitados, que as “NOVAS CONQUISTAS” não foram concretizadas como prometidas e asseguradas, que não há aposentadoria “especial” para a PM feminina, e que o diálogo não é respeitado, mas, o governo da Bahia tá ai, se auto promovendo nestes pontos.

2.1 – A PM diz que o Governo do PT na Bahia não respeitou acordos anteriores, e que dificultou a promoção do praça, exigindo 25 anos para a primeira promoção.

Eu não sou PM, mas, se o fosse, também não aceitaria ter que trabalhar 25 anos para uma promoção. Você faz um curso universitário em 4 anos; mais dois anos de trabalho na área; mais dois anos para outro curso… caramba, pelo visto, o Governo exige é que cada PM para se ter uma promoção, já seja doutor em segurança pública, mestre e ou PHD em sociologia, psicologia, e várias outras ciências humanas e sociais.

Ou seja, há, a campanha lançada pelo Governo, com uma clara intenção de, desde antes da paralisação, informar a população baiana de que, os policiais que estariam paralisados são de fato homens e mulheres ingratos por tudo que o governo do PT na Bahia faz, fez, e ainda está por fazer à PM.

Quem conhece o PT, e os Estados onde eles governam, que os compre por bom preço. Pelo que concluo da situação, o governo do PT na Bahia agiu com premeditação ao lançar a campanha CONTRA as ações da PM.

3 – O Governo dá como concretizado a aposentadoria especial para mulheres e autonomia dos bombeiros.

 

É muito cinismo a coincidência ou premeditação da peça publicitária do Governo do PT na Bahia. Além dos pontos já citados acima, veja o que a “categoria” reclama do governo.

3.1 – A PM reclama e exige como direito a aposentadoria especial para mulheres e autonomia dos bombeiros como acordo não cumprido pelo governo.

 

A peça publicitária do Governo é muito cirúrgica na apresentação dos temas. Não tenho dúvidas! A campanha foi projetada, planejada com o intento de retirar da PM os seus argumentos; foi, e é uma tentativa de emudecer os movimentos e os representantes da PM na Bahia. Seria muita coincidências de temas, palavras e conteúdo.

Conclusão!

Em tal situação em que o Governo com antecedência lança campanha publicitária contra o que a PM iria fazer, e sendo a Bahia governada por este partido, que, vias de regra assim age, assim tem feito em diversos níveis da sociedade brasileira, me solidarizo com a PM, e, tenho que reconhecer, que há por parte do governo do PT na Bahia uma campanha contra a PM.

Lamentável esta guerra suja do governo do PT na Bahia contra as polícias. Afinal a publicação na internet da peça, se deu no dia 12/04, que dá três dias antes da paralisação.

Como é que isto se deu?

No dia 09/04 a ASPRA informou a decisão deles quanto as propostas do governo. Três dias depois, o Governo lançou a campanha publicitária enaltecendo as ações do Governo no setor da Segurança Pública, e, por outra, demonizando as policias.

Como diz o ditado: Se você tem que comer no mesmo prato com o diabo, certifique de que tenhas uma colher com o cabo mui longo. Mas, ai, como é que você colocará a comida na boca?

#NoZilla – Desinstale o seu Firefox. Não à “inquisição gay”.

Eu já critiquei e continuo a criticar o Mozilla pelo mesmo motivo faz algum tempo. E, sei, que a solução pode ser encontrada com as equipes envolvidas (Banco do Brasil, Banco do Nordeste e Fundação Mozilla) para que encontre a solução para o problema relacionado: erro de instalação e configuração do sistema de segurança destes bancos.

Eis abaixo uma imagem com a tela de erro no momento da instalação de, por exemplo, programas de segurança do Token do banco do Brasil.

Além disso, eu sou, não nego, um cidadão conservador, de conceitos de direita, e que defendo minhas posições, minhas ideologias. Hoje, excepcionalmente hoje, adiro a campanha que está no twitter e em muitos blogs que sigo que é o #NoZilla. Então, ajuntando-me a muitos outros, eis aqui meu desabafo: Estou desinstalando o Mozilla Firefox de meu computador. Já falei com meus filhos para também fazer o mesmo.


O motivo? Simples: eu compartilho e estou fazendo parte da campanha: #NoZilla – Desinstale o seu Firefox. Não à “inquisição gay”. Clique no link e saiba do que se trata. Mas, já adianto: Se o movimento GLBT tem o direito de policiar e impor suas vontades, nós também temos. Eu tenho irmão que é gay. Vive a vida dele do jeito que quer e do jeito que a natureza o permitiu ter sua vida. Mas, não me é aceitável o que os movimentos GLBT fazem mundo a fora.

Você não pode ter sua opinião e posicionamento filosófico que já é classificado, atacado como homofóbico. Não! Não sou. Não somos homofóbico. Temos opinião. Respeitamos as opiniões e exigimos que sejamos respeitados.

Se a Mozilla não respeita a opinião de quem para ela trabalha, certamente não me respeita também. Então! Não quero mais o Mozilla Firefox em meu computador e em minha casa.


Assinei também a petição Online neste link aqui: #NoZilla – Desinstale o seu Firefox. Não à “inquisição gay”.


Como instalar o Nota Fiscal Eletrônica no Windows 8 de 64 bits e Internet Explorer 11

 
 

Se você não está conseguindo instalar o Nota Fiscal Eletrônica em seu computador com o Internet Explorer 9, 10 ou versão 11, esta dica poderá te ajudar a encontrar uma solução.

Observação: este texto serve apenas para esta situação. Não me envie perguntas, e-mail, comentário pedindo ajuda extra, se esta dica não te ajudou a resolver o seu problema. Isto por que, cada situação é uma situação.

O que é que acontece? Nos computadores novos com o Windows 8, e com o Internet Explorer versão 8, 9, 10 e 11 apresenta a seguinte mensagem quando você acessa o link para fazer o download e instalação do Nota Fiscal Eletrônica, neste link: Emissor de Nota Fiscal Eletrônica São Paulo.


As duas setas apontam para a realidade do computador que estive trabalhando. O computador é um notebook com o Windows 8, de 64 bits, com o Internet Explorer versão 11. Foi neste ambiente que o site do: Emissor de Nota Fiscal Eletrônica São Paulo insistiu em apontar que o computador não tinha o Java instalado. Veja na imagem que o JAVA está instalado.

Para ver se o Java está instalado no Internet Explorer.

  1. Aperte e solte em seu teclado, a tecla ALT;
  2. Com o mouse, na parte de cima, quando aparecer a Barra de Menu, clique em Ferramentas;
  3. Com o mouse, clique em Gerenciar Complementos;
  4. Na tela que aparecer, em Mostrar clique em Todos os complementos.
  5. Olhe na lista, se o Java™ está HABILITADO.


Se não estiver HABILITADO, clique no Java, e vai aparecer um botão para você clicar em Habilitar. Você já sabe que o Java está instalado. Você tem certeza que o Java não é o problema.

Para resolver este problema faça o seguinte, no Internet Explorer 9, 10 ou 11.

  1. Aperte e solte a tecla ALT;
  2. Com o mouse, clique em Ferramentas;
  3. Com o mouse, clique em Configuração do Modo de Execução de Compatibilidade;
  4. Adicione o site: sp.gov.br;
  5. Clique em Fechar.

Volte para a abrir o link ou aperte a tecla F5 que o link de instalação vai aparecer.


Em casos mais resistentes, você vai ter que baixar estes Certificados digital da SEFAZ/SP. (Clique neste link). Localize a parte em que tem o subtítulo Certificado Digital da SEFAZ/SP. Clique e faça o download. Depois do download clique com o botão direito do mouse sobre os arquivos de certificados, e clique em Instalar.


Pronto! Isso é tudo. Se não funcionou com você, não tenho mais dicas a dar. E repito o que escrevi no início do texto.

Observação: este texto serve apenas para esta situação. Não me envie perguntas, e-mail, comentário pedindo ajuda extra se esta dica não te ajudou a resolver o seu problema. Isto por que, cada situação é uma situação.

  

Guia de autorização para internação PLANSERV: Download em word, writer e PDF

Se tem uma realidade que demonstra atraso tecnológico é o preenchimento de guias, a máquina de escrever ou manuscrita. Ontem eu fui levar minha esposa à UPA24h e lá, bem como no Hospital Regional, o preenchimento das fichas de atendimento segue este padrão. E quando cheguei hoje numa das clinicas que presto serviços, recebi a incumbência de criar a um arquivo no formato Word para a Guia de Autorização para internação do PANSERV. Já que está feito, disponibilizo para download.

Opções de Download.

Modelo do Word – GUIA DE AUTORIZAÇÃO PARA INTERNAÇÃO – PLANSERV Neste link que está no 4shared faz o download de um arquivo do tipo Modelo do Word. Você tem que fazer o login, ou ter uma conta cadastrada no 4shared.com, se tiver uma conta no twitter ou no Facebook, e também no Google, serve para fazer o download. O arquivo do tipo Modelo do Word, todas as vezes que você clicar no arquivo, será permitido gravar um arquivo com um nome diferente para você deixar arquivado todas as guias de autorização para internação, com os nomes dos referidos pacientes.

Arquivo PDF editável – GUIA DE AUTORIZAÇÃO PARA INTERNAÇÃO – PLANSERV. Neste link que está no 4shared faz o download de um arquivo do tipo PDF editável, ou seja, você pode inserir dados no arquivo PDF, se quiser pode Salvar a cópia do arquivo com o nome do segurado.

Arquivo do Writer –  GUIA DE AUTORIZAÇÃO PARA INTERNAÇÃO – PLANSERV – Neste link que está no 4shared faz o download de um arquivo do tipo ODT (Arquivo de texto do Writer do LibreOffice) que é um formulário que permite a digitação dos dados.


Os campos tem tamanho fixo. Vários deles tem o tamanho máximo de 200 caracteres. O campo Histórico Patológico Atual, tem tamanho de 1500 caracteres. O campo Data está configurado para capturar a data atual do sistema. Se estiver com data atrasada verifique a data do seu computador, e, também, pode ser substituído. Deixei um espaço na lateral para se carimbar a guia. Vi numa das clínicas daqui de Irecê, um carimbo que preenchia esta área da Guia na medida certa.


Para preencher o formulário corretamente e com desenvoltura, use a tecla TAB para navegar de um campo para outro. Para voltar para o campo anterior, use a tecla SHIFT+TAB. Nas caixas em que tem que marcar, você pode, usar a BARRA DE ESPAÇO.

Observação.

Os links de downloads[bb]foram disponibilizados depois de testados. Já expliquei como fazer o download. Já criei o arquivo. Já fiz tudo que era possível para você ter este arquivo a sua disposição sem custo algum. No entanto, se você não consegue fazer o download deste arquivo, e deseja ter uma cópia por e-mail, então, terá que pagar uma taxa de R$ 20,00 para eu enviar para seu e-mail. E, se, o arquivo não atender a sua necessidade, se não é o arquivo que você pensou que era, não haverá reembolso do dinheiro.

Contas para o depósito:

Bradesco: Ag: 3036. Conta Poupança: 1012122-1 em nome de Kátia Scarllette
Banco do Brasil: Ag: 05487 Conta Corrente: 423882-2 em nome de Adão Braga
Caixa Econômica: Ag: 0780 Conta Poupança: 00065196-0 em nome de Adão Braga