O que há de semelhante entre o Avast Antivirus e a presidente Dilma?

É só um  gracejo! Para alguns uma comparação irrelevante e sem sentido. Mesmo assim, faço-a no intuito de registrar a comparação. Veja bem o que une ambos.

O governo Dilma está sob forte critica e constante movimentos de descontentes. E o que anda fazendo a presidente? Não muita coisa para resolver as questões. Sei que na semana passada, no blog do planalto, ela desandou a listar milhares disso e daquilo. Veja abaixo a lista dos números e explicações que a presidente deu num dos programas: Café com a presidente

  • 1,250 milhão de jovens estão fazendo os cursos técnicos oferecidos pelo Pronatec;
  • Cursos de qualificação profissional, que já receberam 2,750 milhões de matrículas
  • O Pronatec alcançou a marca de 4 milhões de matrículas em cursos técnicos e de qualificação profissional
  • 572 mil pessoas que recebem o Bolsa Família ou que estão inscritas no Cadastro Único do governo já se matricularam para fazer um curso de graça
  • Vamos ter 208 novas escolas até o final de 2014. Dessas novas escolas, nós já temos 94 funcionando.
  • Uma outra coisa muito importante, Max, o Senai está construindo 53 novas escolas por meio de um financiamento do BNDES.

Você pode encontrar mais aqui: Café com a presidenta

É típica a atitude deste povo que está no poder apresentar números e mais números, como que, insistindo na tese de que não se sabemos comparar quantidade versus qualidade. Propor projetos, fazer reuniões, dar declarações estapafúrdias.  Veja na lista, que até número de matriculados é contado como vantagem.

Na turma de informática do IFBA, campus Irecê, nos últimos anos tem tido em média 40 alunos matriculados, e o número de concluintes? Da primeira turma, o total de alunos concluintes são 8. Da segunda turma, 5. Isto mesmo! Se é esta a tendência, dos 2,5 milhões… é só fazer o calculo para saber: 5% a 10% do número concluirão o curso.

Tá! E onde entra o Avast?

Sim! O Avast! Entra agora. Veja se não é uma ação semelhante! Tive que desinstalar o Avast Antivírus de um computador infectado com o vírus Sality.xx. E, no instante da desinstalação, eis a tela de apelo que me apareceu:

avast e dilmaNão é uma graça! O computador está infectado. O antivírus (versão gratuita) não deu conta do serviço, e agora que vou removê-lo, o mesmo, me mostra números. Números Avast! Eu queria que você eliminasse os vírus, não lê números estatísticos.

Menos Dilma! Menos Avast! Façam mais!

IFBA Irecê: Estamos deveras desanimados, frustrados, desesperançados, desmotivados com o curso técnico

Frustrados e Desanimados!

Estas foram as palavras usadas ontem no campus do Instituto Federal de Ciências e tecnologia, o IFBA campus Irecê.  Até que outros adjetivos cabem, mas, estes foram os mais repetidos. Não sei se, motivados pela recente informação de que o curso técnico na modalidade subsequente está com os dias contados, o que, para nós soou como: desistimos da modalidade por faltar-nos condições técnica, humanas, estruturais para avançar, ou, quem sabe, por optarem pela modalidade de ensino em que os professores, não tem obrigações de “ensinar”, e sim, e  tão somente orientar!

Um dos professores me disse que o conteúdo dado no “Curso técnico de Informática Subsequente” é conteúdo aplicado nos cursos superiores. Não é interessante a informação, pois, sairemos do curso com certificação de técnico, com conteúdo de nível superior, e sem o conteúdo e prática técnica exigida e necessária para o mercado de trabalho. As explicações para muitas das dificuldades existentes, passam sempre pela frase: “o campus é novo. Só temos dois anos em funcionamento” – Isto é verdade! Mas, a instituição IF, é mais que centenária, o que, em certos momentos e eventos, isto é freneticamente repetido.

O que temos aprendido é muitas vezes vago, distante do que pensávamos, e do que esperávamos do curso, ainda que alguns professores defenda ardentemente o conteúdo apresentado. Por exemplo, no conteúdo de Redes, nem se conseguiu fazer com que os alunos implementem uma rede do tipo LAN, com os computadores existentes nos laboratórios, mas, já estamos passando pelo conteúdo de redes 2, que é configuração de Roteadores; evidentemente: estamos usando ferramentas do tipo netSimK,  que são simuladores. O bom e útil seria ter a experiência com o simulador, e conteúdo teórico, e também acesso aos roteadores. Quem sabe, eu envie mensagem à CISCO para que eles enviem cursos técnicos práticos.

O curioso é ver e ouvir os professores falando como se eles estivessem sendo os elementos responsáveis por grandes transformações em nossas vidas, seja nos aspectos sociais, técnicos, profissionais. As insistentes e vexatórias explicações de que, o conteúdo ensinado, são exigências do mercado de  trabalho, que, faz parte das ementas dos cursos.

Tudo bem! Eu particularmente acredito. Já li as ementas dos cursos. No entanto, o que existe nas ementas podem ser ensinado de forma teórica, e, mesclados com a prática. Esta deveria ser a tônica dos cursos técnicos do IFs.

Entretanto, eles temem trabalhar com os equipamentos, temem, mais que isto, “são proibidos” de usar a infraestrutura existente; Até mesmo as matérias e os conteúdos que os professores poderiam, e deveriam ensinar na prática, eles optam por aulas expositivas com slides do tipo PowerPoint. Conteúdos que deveria ser exemplificados, são teorizados. Estamos tendo aulas de como programar computadores nos moldes das décadas passadas; com exigência de escrita de código tecla a tecla, e temos, que ir descobrindo como é que se deve usar as ferramentas, os aplicativos.

Toda esta realidade acima descritas, e outras não mencionadas, estão desanimando os remanescentes  do curso subsequente de informática. Tenho tentado encorajar os colegas a prosseguirem por mais este semestre, para terminarmos ainda que com dificuldades e com baixo aproveitamento técnico. É terrível aprender a programar, com slides que não explicam; é de igual modo estranho aprender redes sem contato com as configurações e o contato com os equipamentos, ainda que existam no campus.

Nas matérias em que deveria existir um link simplesmente não há. Recebemos muitas informações teóricas sobre gerenciamento de banco de dados, persistências, e, estamos no fim do semestre com severas dificuldades em unir os campos da aplicação com as tabelas do banco de dados. Eu, não tenho tantas dificuldades em ter que aprender e implementar o que não foi ensinado; muito  me chateia ser cobrado por conteúdo que não me ensinaram, afinal, ao responder e demonstrar o conhecimento adquirido, faz com que eles recebam os louros de uma vitória que não são deles. Esta dessincronia  existente faz com que os alunos saibam isto e aquilo, mas, o todo, saber usar IDE, Banco de Dados, para formar uma aplicação, isto fica por conta de cada um, e com os vídeos e tutoriais na internet.

Estamos deveras desanimados, frustrados, desesperançados, desmotivados com o curso técnico, que em breve será extinguido da lista de cursos. Pelo conteúdo apresentado, e pela forma que apresentam, será bom para eles, os professores, orientadores, organizadores do curso, e do campus, afinal, ter um curso técnico – com a falta da parte técnica – não é nada interessante.

Não se fica rico, nem se é feliz, nem se emagrece, não se consegue o amor da vida com o que este povo oferece em e-mails, sites, blogs e redes sociais.

Faz poucos anos que muitas pessoas se convenceram de que é possível obter renda sem trabalhar, ter uma grande fortuna sem esforço; ser bem remunerado clicando em anúncios na internet; ter uma vida regalada com pouco esforço; … todos, evidente, no mínimo parte de um dos lados da mesma situação: ou é enganador ou está enganado. As técnica, as táticas, as estratagemas são variadas, e, em muitos casos, muito bem elaboradas. judeus

Uma súcia de madraceiros existe por detrás de muitos destes negócios. Os métodos são parecidos ainda que os meios sejam diferentes e outros usam tudo de forma semelhante. Alguns anunciam o que não tem; outros apelam para os sentimentos de baixa alto-estima; outros aproveitam a imperícia no uso dos recursos computacionais.

Os conteúdos dos e-mail que me chegam as vezes me chamam a atenção pela quantidade de oferta de oportunidade para eu ficar rico; eu me tornar uma pessoa próspera; ser feliz; o segredo dos milionários; a estratégia de colocar o dinheiro para trabalhar para você, etc e tal.ganhe20

Pois bem! Me lembro de um amigo que certa vez, descambou até minha casa, que distava mais de vinte quilômetros com o fim último de me convencer a abandonar tudo e investir numa ideia que ele generosamente estava me ofertando, e que, certamente eu e minha esposa seriamos ricos, prósperos e felizes para sempre. Ele só não conseguiu me convencer de que o negócio era de fato bom, mas, tão bom que ele não o queria para si, uma vez, que ele, sempre foi ganancioso.

Adiante, não é? Ajunta-se tudo num só cenário: muitas pessoas querem, desejam, e pensam que é sim capaz de ficar rico de forma rápida, e sem trabalhar, sem vender produto, sem ter algo que milhares de pessoas estejam dispostas a pagar.

blackdever

Posso garantir que pelos menos duas pessoas eu conseguir desiludir das promessas e das insistentes ofertas para entrarem e investirem dinheiro, tempo e recursos nos mirabolantes planos dos “telexfreezeiros”. Sei que há outras na lista da justiça, mas, uma quantidade enorme de pessoas estão endividadas! Pessoas que venderam casas, carros, apartamentos, terras… na esperança de que teriam muito mais, e mais rápido.

A ganância! A inexperiência! A crendice[bb]! Entre outros valores, desejos, vontades fazem com que as pessoas se aventurem por estes meios onde, uns perdem e outros ganham. Uns que tem como lema: “o mundo é dos espertos”, e que, conseguem pessoas menos espertas que são enganadas.

Neste texto, todas as imagens foram copiadas dos e-mail que recebo diariamente. Esta foram algumas. Recebi de ontem para hoje, exatamente 112 mensagens[bb], em que o objetivo é convencer-me de que há meios simples e eficazes para que ficar rico. E, aqui com meus pensamentos, sei apenas, que se acreditar nestas ofertas, estarei transferindo os parcos recursos que tenho.

Não se fica rico, nem se é feliz[bb], nem se emagrece, não se consegue o amor da vida com o que este povo oferece em e-mails, sites, blogs e redes sociais.

Beatriz! Venha cair na minha rua!

Não vai ser surpresa se amanhã, ou, quem sabe, ainda nesta noite aparecer nas redes sociais piadas e gracejos, insinuações sobre a situação noticiada no site Ego da Globo.

so famosos

Diante da situação, se, de fato o prefeito tomar providências, e de fato, as secretarias envolvidas, as empresas contratadas fizeram os tais serviços, nas próximas manifestações não será estranho lermos cartazes com palavras do tipo:

Beatriz! Venha cair na minha rua!

Déborah Secco: de garota de programa a santa

debora-seccoVida de atriz é assim: num filme, é safada, garota de programa[bb], no popular: “puta”. No outro, veja como é! É escolhida para atuar a vida de uma “santa”, uma pura, uma dedicada às causas sociais. A imagem acima é da noticia no site etc.globo.com

Já havia lido num dos textos que me chega em newsletter[bb]que ela fará também no cinema o papel da cantora Joelma. Para mim, tanto faz, se a ela fará isto ou aquilo, não assistir nenhum dos filmes que ela estrelou. Nem a série que ela fez na Globo[bb]recentemente eu vi, aliás, vi um episódio. Mas, o que é curioso é a relação imediata que se faz com a informação: “de papel de puta para o papel de santa”

IFBA campus Irecê e a “morte” dos cursos subsequentes

Esta semana, exatamente na segunda-feira, 15/07/2013 um dos professores do curso de informática nos informou que o IFBA Campus Irecê, não terá, daqui a poucos meses não oferecerá mais cursos técnicos na modalidade subsequente. Ou seja, dentro de alguns meses o IFBA Campus Irecê, não terá mais, no turno noturno cursos técnicos voltados para a categoria subsequente.

Eu perguntei para três pessoas ligadas ao campus sobre esta situação e quis saber os motivos pelos quais o campus estava “matando”, ou deixando de oferecer esta modalidade: Cursos Técnicos subsequente. E a resposta, afirmo: parece ter sido ensaiada, repetida a exaustão por todos, foi que, o campus ofertará cursos superiores no horário noturno, e, cursos técnicos, apenas na modalidade integrado, e que, esta é a tendência de outros campus.

Os cursos técnicos subsequentes são oferecidos para aqueles que já terminou o ensino médio, e que, deseja obter formação técnica no prazo de dois anos. É isto ai! Estes cursos, ou, modalidade de cursos, esta oportunidade de qualificação técnica por meio do IFBA campus Irecê, será, em curto prazo, abandonado. Será extinto o curso técnico na modalidade subsequente neste campus.

Em 2011 o Governo Federal, noutro momento de roubo intelectual[bb]de ideias e projetos, anunciou a criação do PRONATEC, que, tem como objetivo “ampliar a oferta de cursos de educação profissional e tecnológica” – PRONATEC. Assim, a minha opinião é que, o IFBA campus Irecê, está na contramão das propostas do Governo Federal.

Outra realidade é que tem se a ideia de que um país melhor se faz com cidadãos com formação em nível superior, o que eu discordo! Estas ideias veio sendo implantada[bb]no país nesta última décadas . Nem todos temos necessidade de cursar cursos superiores, pós graduações, mestrados, doutorados,  PHDs, THDs e toda a lista de especialização e especificação existente.

A razão para o IFBA Campus Irecê extinguir esta modalidade[bb]de curso, é que, está em avançado estado de implantação um, dois, ou quem sabe, vários tipos de cursos superiores. Insisto: está na contramão, em parte, das propostas do Governo Federal. E, a exemplo de outros campus, fica repetitivo esta informação, não há como coordenar de forma satisfatória os dois tipos de cursos: Técnicos Subsequentes e cursos superiores por diversos motivos: pessoal, técnico, material, etc.

A outra realidade é que o IFBA campus Irecê sofre com várias necessidades. Nós, as turmas de cursos subsequentes que ainda estamos em cursos, temos diversas necessidades não atendidas nos vários cursos existentes. No turno noturno, não temos acompanhamento pedagógico efetivo, não temos a área do DEPEN, não temos bibliotecário, e, consequentemente acesso aos recursos da biblioteca, somente esta semana (14 a 20/07 de 2013) é que o campus obteve conexão à internet. E, não vou abordar outras necessidades urgentes e outras necessidades emergenciais do campus.

Por que extinguirá os cursos subsequentes? Segundos os servidores do campus que me respondeu esta pergunta, a resposta até me pareceu ensaiada, é que, existe uma comissão do campus analisando a situação, e investigando as possibilidades da existência no mesmo campus de cursos Técnicos Subsequente de duração de dois anos, e cursos superiores, e a realidade é que, nos campus em que ocorreram a implantação de cursos de nível superior, os cursos subsequentes minguaram, ou deixaram de existir por não existir procura e matriculas.

No entretanto, fato é que, o campus IFBA Irecê, deixará de oferecer esta modalidade de qualificação por sofrer de inanição técnica na área. Os professores são de formação acadêmica e não tem perfil técnico, não tem aptidão para o conteúdo técnico.

No campus Irecê, esta é minha opinião, mesmo com computadores e programas específicos os professores acadêmicos conseguem fazer um bom curso técnico de informática. Segundo uma colega que entrou no curso e já terminou, é esta a realidade:

Entrei aqui com o intuito de consertar computador e conhecer as técnicas de manutenção e reparos; eles disseram que o objetivo do curso era a programação de computadores. Eu estou saindo sem saber consertar computadores, e sem saber fazer programas”.

Isto aponta para várias situações, mas, sem relação com o fato novo: A extinção dos cursos técnicos subsequentes. Para mim, isto também é opinião minha, estão correndo para a oferta de cursos superiores por falta de condições técnicas diversas, inclusive falta de professores técnicos, apenas, e somente acadêmicos, e condições necessárias para a oferta de cursos técnicos profissionalizantes. Semana passada um dos professores do curso subsequente de Eletromecânica reclamou do conteúdo que estava sendo obrigado a passar aos alunos do curso:

Tenho que explicar e ensinar aos alunos do curso sobre conteúdos inespecíficos e totalmente teóricos, quando de fato, o curso deveria ser prático. O conteúdo não servirá para a vida profissional de nenhum deles Já tentei mudar! Já pedi! Já insistir com a coordenação do curso sobre isto, mas, segundo eles, tenho que seguir o conteúdo da ementa! O que é totalmente depreciativo, desestimulante, e totalmente desnecessário a vida profissional. Isto se dá, por vários fatores, um deles, é a falta de material e equipamentos para trabalhar a parte técnica das matérias do curso

.

Ou seja, diante da situação em que o IFBA campus Irecê se encontra sem condições técnicas de oferecer curso  técnicos, e os cursos técnicos em que há condições, existe a falta de professores técnicos, a optam para esta solução, que é, de fato, uma fuga, em que, resolve os problemas de materiais, e  transfere para os alunos a obrigação de obter materiais, bem como, transforma os professores em tutores e mestres da formação acadêmica.

Esta realidade não deixa de representar as ideias e a maneira como este governo pensa e trata a educação. Ignoram várias fatores e outras realidades. Os cursos de nível superiores não é a solução para a necessidade de mercado de  trabalho, o acesso imediato ao mercado de trabalho, além da perspectiva de requalificação ou mesmo reinserção no mercado.

O IFBA campus Irecê, ao deixar de oferecer os cursos subsequentes, estará reconhecendo a falta de recursos humanos, a falta de recursos técnicos, e optando para o caminho que já existe aos montes por ai: cursos superiores como solução, que ao final, será o despejo de pessoas cheias de teorias de como deveria ser o mundo, e como deve ser as profissões e as empresas, do que pessoas, preparadas para o mercado de  trabalho, além, é claro, de ir contra as propostas do atual governo que se diz empenhado em transformar a sociedade e preparar a juventude para o mercado de trabalho, e qualificação profissional de quem tem a necessidade de qualificação.

Para mim, não deixa de ser lamentável a atual situação. Tinha a esperança de que, com o  tempo, e com o avanço dos anos, o IFBA campus Irecê, se transformaria numa referência de preparação profissional e qualificação técnica na região. Fica para o futuro, quando existir condições para tal. Ou seja, quando existir professores para os cursos técnicos, e professores para os cursos superiores. E quem sabe, em breve, se faça o que é necessário: cursos técnicos rápidos e objetivos.