Windows 8.1 – O “botão iniciar” como era antes, não voltou!

Ao longo dos últimos dias muito se afirmou sobre as novidades que viriam com o Windows 8.1 Preview. Uma das informações mais bem, e mais, muito mais comentada era a volta do botão iniciar. Eis abaixo a informação sobre a versão do Windows 8 que instalei no meu PC. w8-copia-avaliacao A versão de avaliação tem prazo de validade, e expira em janeiro de 2014. É um bom  tempo para testar e receber as novidades através das atualizações e correções que chegarão neste período.

Pois bem! Eu instalei o Windows 8.1 Preview para estar inteirado sobre as novidades e as mudanças. A primeira pergunta que faço é esta: Cadê o botão iniciar?  Não tem o botão Iniciar como foi muito comentado. Não do jeito que os usuários estavam pensando que seria. Não é igual, nem parecido, nem equivalente ao que estávamos acostumados desde o Windows 95. Não mesmo.

Veja nesta imagem abaixo como é que está o botão, que, só é visível na “área de trabalho”, e desaparece totalmente quando na visualização do tipo Metro.

botao-quase-iniciarOutro detalhe é que este Menu de Opções só aparece, ao clicar com o botão direito do mouse, ou seja, é uma funcionalidade do tipo Menu alternativo. Como explicarei mais abaixo, é um atalho no mouse, para o que se obtinha na versão anterior com teclas de atalho.

O que é que o “botão iniciar” do Windows 8.1 faz é:

  1. Clicar com o botão DIREITO do mouse, você será levado para a tela iniciar do Windows 8.
  2. Clicar com o botão ESQUERDO do mouse, será apresentado um menu de opções, que são as opções que antes se acessava com as teclas de atalho: Windows + X. Que, continua funcionando. Veja na imagem abaixo o que está diferente ao acessar o ‘botão Iniciar”, que para mim, é mais um botão de acesso rápido ás funções de configurações.

novidade-iniciarVeja acima na imagem que, o que há de diferente[bb]para o menu anterior são dois itens: Conexões de redes, que, nesta versão, apenas te levará para a área dos adaptadores de redes existentes e instalados no seu PC, e o Desligar… bem! não é necessário muitas explicações[bb]. Serve para desligar, reiniciar ou suspender seu PC. Mas, o fato é, o botão iniciar, como se desejava, e como muito se reclamou da mudança, nesta versão Windows[bb]8.1 Preview ele não voltou! Pode ser que na versão final ganhe aspectos e as funcionalidades. Porém, nada de muita novidade quanto à volta do Botão Iniciar.

Superdownloads e Baixaki no mesmo saco de farinha

Eu acho desagradável, apesar de ser beneficiado com as recentes atitudes dos sites superdownloads.com.br e também do baixaki.com.br. E eu sou beneficiado, pois, pessoas e empresas me chamam para limpar os computadores dos programas desnecessários, perniciosos, irritantes, problemáticos que, tanto os gerenciadores trazem, quanto, os softwares baixados trazem.

Hoje fui fazer o download de um aplicativo que no sistema de busca apontou o superdownload como o link mais popular. Cliquei. O link não chegou ao destino, então, cliquei na opção sugerida pelo sistema do superdownloads e me veio, não o software que eu queria, mas, o gerenciador que não queria instalado no computador.

superdownloadsAlém disso, vejam na imagem acima. Não tem nenhuma informação ou referência ao software que eu cliquei. Ai, o que fiz? cliquei em FECHAR. Excluir o arquivo da minha pasta de download, mas, mesmo assim, o tal gerenciador deixou um arquivo na minha área de trabalho: “Continue Java SE Runtime Environment (JRE) Installation“… nada a ver com o software que as buscas apontaram como existindo no site.

Como me senti enganado fui e cliquei no link apontado como o segundo mais popular, que estava apontado no serviço do baixaki.com.br. E não é que me aconteceu a mesma coisa? Isto mesmo! Também no baixaki, na tentativa de baixar o mesmo aplicativo, a mesma situação. O link, que apontava para um projeto do sourceforge.net não encontrou o caminho. A sugestão: clique aqui, também me levou ao download do gerenciador de download do baixaki.com.br. Que não é diferente do outro, nem em aspecto, nem em intenções. Veja a aparência abaixo na imagem:

baixakiTambém não tem relação alguma com o aplicativo que eu queria fazer o download.

Está cada dia mais complicado fazer download direto do que desejamos. Para mim até que não está ruim, não. De jeito nenhum! Afinal, a atitude destas empresas, que a maioria dos internautas tem como idôneas, integras, leais, me proporciona ganhar vários reais em serviços de remoção de softwares, limpeza de sistema.

Ou seja, tanto faz: superdownload como baixaki. No momento do download, ambos os serviços, se tornaram farinha do mesmo saco!

Por que o Internet explorer continua perdendo mercado

Este é outro texto sobre o assunto já abordado por mim: eu sei por que o Internet Explorer continua perdendo mercado e caindo cada dia mais no desgosto e no desuso. Veja esta imagem abaixo:

ie10-winsp1É uma exigência inibidora. Sabem qual é o tamanho do Service Pack 1? É um tamanho, que, veja que curioso, se você tem o plano VIVO ilimitado, por exemplo, acaba totalmente a sua taxa de download do mês inteiro. Isto mesmo! O Service Pack 1, exigido para eu instalar o Internet Explorer 10, tem 1,9 GIGABYTE. É quase o total de download que os usuários da “VIVO ilimitado” tem para usar nos trinta dias do plano.

Eu farei o download por alguns motivos, a saber: preciso do IE 10; terei o pacote de Service Pack depois do download, o site dos banco que utilizo exigem e trabalham melhor com o Internet Explorer, eu amo, o Internet Explorer e os produtos Microsoft, mas, porém, contudo, no entanto, sei que estas exigências acaba por fazer com que mais pessoas não utilizem uma versão mais nova do Internet Explorer, que afinal, por que razão, tem que está atrelado às exigências do Sistema Operacional?

Em minha opinião, deveriam separar o navegador do Sistema Operacional, e se, existir alguma atualização necessária faltando, que se providencie no pacote de instalação do Internet Explorer oras bolas.

Está dito!

Como há vozes ruins cantando!

Quando jovem algumas vezes saíamos de Nanuque, Minas Gerais, para algumas das muitas praias a poucos quilômetros de distância, ou a poucas horas de viagem. Numa destas viagens à praia, fui parra uma cidadezinha na fronteira Minas e Bahia, em que, ficamos cantando as músicas de sucesso daquela época. Foi nesta época que ouvi a primeira vez sobre minha incapacidade para a vocação de cantor, assim disse Stela:

– Adão sabe todas as músicas. É admirável como ele sabe todas as músicas que se toca, mas, a voz dele é uma lástima. Como canta desafinado. Mas, ele pensa que é bom de cantador.

sofisticadas

Mas, eu não desistir não! Aos dezesseis anos, quando entrei como crente convertido ao adventismo do sétimo dia, tentei pelo menos duas vezes entrar no coral da igreja, e ainda tentei outras coisas, do tipo: dupla, trio, quarteto e grupo musical, no entanto, a natureza sempre me acompanhou em todos as tentativas, e até, se tornou fácil aceitar as explicações:

– você sabe a letra, sabe o ritmo, sabe entrar nos momentos certos, mas, você não  tem afinação.

Na Faculdade de teologia, na matéria de música sacra e cristã, havia a regra de que todos deveriam cantar, conhecer partituras, os símbolos musicais, saber regência, saber diferenciar as vozes: barítonos, baixo, sopranos, contraltos. E, fui dispensado de tudo. Até o professor Ramón, que nunca havia feito uma dispensa, aceitou a minha pela justa causa. Por fim, mas, não a última tentativa, ao sairmos para atividades extracurriculares, tínhamos que apresentar uma série de música na noite de festa de despedida. Depois de algumas tentativas, o diretor musical me orientou:

– Você faz assim: “vai cantando em mudo”. Pois, até quando você faz só a melodia, atrapalha os que estão ao seu lado.

Ou seja, eu fingir cantar, movimentava a boca, fazia jeitos e trejeitos, porém, não emitir uma nota. E, a última vez que tentei cantar qualquer tipo de música foi na cidade de Caem, aqui na Bahia, ali próximo da cidade de Jacobina. Nesta ocasião, a igreja desconhecia certa música. Eu, me prontifiquei a fazer uma demonstração cantando a primeira estrofe, e na esperança de os músicos da igreja local, pegar o ritmo e aprender a cantar, porém, recebi o seguinte pedido:

– Adão! Deixa pra lá a música. Você faz a reunião, e nós cantamos as outras músicas que conhecemos, e, é bom, você não insistir a cantar não, para não espantar quem já está aqui.

Foi um amigo quem me pediu isto. E, o que tem tudo isto com as vozes ruins que cantam? É que, eu acho uma tremenda injustiça haver tantas pessoas cantando por ai, sem terem tido alguém para dizer a eles: você até que sabe cantar, mas, sua voz é horrível.

Eu sofro com certas vozes! Mais homens do que mulheres se aventuram na arte dos bardos. Infelizmente se cantam é por que há quem os ouça; eu os ouço, por, as vezes ser obrigados pelos carros de sons, pelos paredões de sons, pela programação das rádios, por pessoas que insistem em espalhar o gosto ruim, pelo que, em minha opinião, não tem valor, não deveria ter ido adiante. Uma falta de um amigo, um familiar em dissuadir estas pessoas de querer seguir na vida artística musical.

Lamentável. Tenho alguém próximo, que além de cantar ruim, ter uma voz tão desafinada quanto a minha, ele ainda insiste em tocar violão, e pior, chega a dizer que ele canta melhor, e mais bem cantado as músicas de cantores de sucesso como Daniel, Leonardo, Zezé di Camargo, Roberto Carlos, Djavan, Zé Ramalho, Fagner, Jorge Vercílio, Caetano, Gilberto Gil… estes são alguns que sei, que são maus cantores ante a voz e talento deste senhor.

Também lamentável e penso que alguns chegam a regravar as músicas destes ai, na certeza de que cantam melhores, e que tem a voz mais linda da Gália.

obardo

Me reservo o direito de não listar uma só pessoa que penso cantar ruim, além de reconhecer-me como péssimo cantor. Nem no banheiro canto. No entanto, há milhares de vozes por aqui, ali, lá, acolá que, me pergunto por que Deus foi tão cautelo e zeloso para com quem estava próximos a mim, a ponto, de apontar o meu caminho longe da música, e no entanto, não foi o mesmo para comigo, para me livrar destes cantores do tipo: O bardo das histórias do .

Propostas do Governo aos prefeitos e governadores para melhorar o transporte público e privado

Depois de tantas reivindicações por melhorias no transporte público, na saúde, na infraestrutura, na educação, reclamação direcionadas aos poderes legislativo e executivo tem tomado corpo e forma.

Eis abaixo algumas ideias que estiveram em pauta na reunião entre a presidente e os prefeitos e governadores.

Que tal começarmos por  este projeto concebidos em filmes de sucessos. transportes-quinto-elemento
Esta imagem acima é do filme: O quinto elemento. E, foi debatido entre eles as possibilidade de se implantar nas grandes cidades e capitais, tal modelo. Assim os carros pequenos transitariam nas pistas de cima, liberando as pistas terrestres para ônibus, metrôs, caminhões e outros veículos grandes.

O debate foi acirrado! Afinal, haverá grande custo para se produzir os carros com tais capacidades, e, terá que mudar a legislação para habilitação, pois, agora, terão que ter CNH e licença para voar. Por outro lado, haverá incentivos fiscais para a indústria automobilística, para as ciências e tecnologias para se começar logo a produção de carros com tais condições, bem como, a Petrobrás, já está empenhada em fornecer um combustível próprio, afinal, será um grande problema sair por ai vasando óleos e combustível.

Os cientistas presentes se comprometeram a construir pistas eletromagnéticas. Como vimos nos filmes de ficção:  Minority Repor além de pistas como esta abaixo na imagem, lembrar que, os carros saem das garagens dos edifícios na horizontal.

 

minority-report

O filme Total Recall também aposta neste conceito de transporte para o futuro. Veja o conceito na imagem abaixo.

total-recall-concept-art-7

O empecilho de todas estas propostas futuristas, é que, todos elas privilegiam o  transporte individual e não o transporte coletivo. E, o governo da presidenta está procurando soluções para o  transporte coletivo, então, apontaram para ela estes exemplos, que, na prática não será realizado, afinal, como  está escrito nas diretrizes do seu governo: “Será continuado o programa que objetiva dotar as cidades de transporte coletivo eficiente, expandindo o metrô nas principais cidades do País.” – No entanto, como não havia programa a ser continuado, nada foi feito.

E o governo continuará a procurar nos conceitos e na inspiração de filmes a solução para o problema do transporte público nas grandes cidades. Ao menos temos uma certeza: está procurando no ambiente correto: em filmes de ficção cientifica e futuristas.

 

Fracasso nos transportes públicos é por que governo Dilma quer continuar o que não foi feito no Governo Lula

Não é da semana passada que critico o governo petista; faço isto, desde que Lula foi eleito em 2002 e por todo o período dos seus dois mandatos, e também neste terceiro mandato petista, continuou a criticar. Alguns amigos já ouviram de mim esta frase:

“Faça uma lista do que existe no Brasil que foi uma ideia, um programa de governo, um projeto, algo que existe, e que teve êxito do partido dos trabalhadores – ao menos um!”

Existe mais de uma dezena de textos em que critico a administração petista em Irecê, no Estado da Bahia e no Brasil. Agora surge toda esta onda de manifestação e protesto. Não sou mais um dos aproveitadores de plantão; não sou mais um dos que apoia as reivindicações por oportunismo. Sigo minha linha de ação e critica.

Este negócio ai, estas questões sobre o transporte público, o que dizer? Uma das diretrizes do Governo Dilma, e que eu critiquei neste texto: Diretrizes de Governo: um show de besteirol, escrito em março de 2011.

Na diretriz 10 há esta frase: “Será continuado o programa que objetiva dotar as cidades de transporte coletivo eficiente, expandindo o metrô nas principais cidades do País.”

Em minha opinião, como não havia nada feito, não tinha o que ser continuado, ou pior, continuou o que não existia, o que não estava planejado. O fracasso do governo Dilma está em querer continuar o que não aconteceu nos governos anteriores do Lula, e que, talvez havia sido mencionado e listado como prioridade nos governos de FHC, Itamar e Sarney.