Cuidado ao comprar tablet “Xing Ling”

[lomadeewpro category=’10232′ keywords=’Apple, Samsung, Galaxy, Nexus, Surface’]

Já não é novidade de mercado os tablets. Já roda noticias por ai que dizem que o projeto já existia desde os inicios dos anos 2003/2004. E tornou-se padrão e alcançou o ápice no comércio depois que Apple botou a mão e transformou o que era projeto em realidade de consumo e campeão de vendas.

No entanto, o mundo se encheu também de outras variantes e variáveis formas de ver os tablets: os de baixo valor, mas, com nome de status “TABLETS”. E o populacho brasileiro, que mal sabe entender as tecnologias, em sua grande massa, resolvem comprar os ditos sem ao menos se informar sobre os tais.

A praxe de muitos é chegar na loja e comprar um tablet, e que seja o mais barato, pois, o importante é ter um tablet. Depois vem o arrependimento. Eis algumas situações em que não se encontra solução completa e satisfatória em todo o território nacional.

1  – Internet 3G. O primeiro cliente que me pediu serviço em tablet xing ling queria que eu fizesse o tal pegar internet 3G da operadora que ele havia feito plano e comprado modem.  Na época a região estava sofrendo com a 2G e em implantação da 3G. Ainda hoje, muitos tablets xing ling funciona com os modens 3G e não funciona com todos os modens. Mas, existe soluções.

2 – Teclado. Alguns tablets permitem a conexão de um teclado USB, porém, nem sempre se encontra configuração e recursos que sigam as normas ABNT. Existe um, eu só encontrei um, que permitia configurar e usar uns atalhos para se ter ç, ã, ó, á, é – ou seja palavras acentuadas.

3 – Utilidade. É desconsertante, mas, algumas pessoas me trazem estes aparelhos e querem que eu instalem o Windows 7, Office 2010 e até já me perguntaram: tem como instalar o Autocad neste aparelho?  Tablets! Os de marca! São produtos voltados para as mídias: videos, som, imagem, texto, internet, conectividade… coisas destas naturezas. Não compre um tablet pensando que vai substituir o servidor de sua empresa.

4 – Android. O sistema operacional Android veio e está expandindo rapidamente. Mas, em minha opinião, é um sistema ruim. Não me agrada! Não vejo facilidade no mesmo. Não encontro futuro entre eu e o Android. E digo isto porque, os problemas que me chegam às mãos, estão sempre relacionados a limitação da versão do Android[bb], não haver como fazer a configuração, fazer as mudanças que o cliente solicita, como por exemplo: “eu quero conectar um cabo de rede porque não tenho sem fio.” Deve existir por ai, algum tipo de conector USB/Eterneth, porém nunca na cidade.

5 – Restrições. Alguns tablets protegem o sistema e só permite fazer alterações por atualização. E, quando você faz mudanças no sistema, vem um RESET automático[bb]e desfaz tudo. Retornando a configuração de fábrica.

6 – Língua. Grande parte dos tables utiliza outra língua: inglês é o que mais vi, mas, já tive um em Alemão. Pelo menos dois clientes pediram para que colocasse o aparelho em Português[bb]. Mas, eu não quis mexer não! Encaminhei-os para a assistência dos mesmos, e a resposta foi: não tem como. Se comprou em Inglês, só se instalar Android em português, mas, a atualização, remove e coloca em Inglês de novo!

E para que serve mesmo estes tablets[bb]xing ling? Se você quiser, pode comprar para seu filho usar como video game online, navegar nas redes sociais, e-mail, filmes, fotos, músicas, Pdf, e outras atividades.

Eu não compraria para mim nenhum xing ling. Se tiver que comprar, ganhar de presente, que seja um dos bons produzidos pela Apple ou Samsung e quem sabe, um da Microsoft ou Nokia.

Outros não! E se você vai comprar um tablet xing ling verifique antes se vai atender sua necessidade. Pergunte a quem já comprou se atenderá e servirá para as atividades de sua empresa e para você, para não acontecer com este que aqui estou:

– Adão Braga é para você instalar o programa da loja neste aparelho que é para os vendedores sair na região.

Como dizia aquela comediante: Ô Coitado!

A verdade sobre a agressão, a agressora e as agredidas na praça da prefeitura de Irecê

A semelhança de meu pai, eu não sou muito dado a gostar de sair de minha casa para atividades externas que não seja trabalho. Raramente saio daqui para quaisquer atividades. Não sou de ir a festas, velórios, praças, parques, circos, passeatas, movimentos, roças, acampamentos, retiros, carnavais, micaretas, festas juninas.

Também não sou de ir a cantorias, teatros, museus, rios, lagoas, pedras, monumentos, lançamentos de livros, bibliotecas, cinemas, e atrações em meios de praças sejam eles shows, eventos culturais, religiosos, esportivos ou políticos.

Mas, sempre tem aquele dia que você fraqueja e cede aos apelos da esposa, de um amigo, de uma amiga, um colega ou camarada. E foi o que aconteceu comigo no último dia 19 de julho w quando sair do asilo inviolável do indivíduo – segundo a constituição: o lar – e fui até o local onde aconteceu a festa de inauguração do comitê do “candidato da oposição” que também – eles não me enganam nesta questão – é da base aliada do governo estadual e federal.

Pois bem! Depois dos eventos a multidão foi convocada a sair em caminhada pelo centro da cidade de Irecê. Eu preferir ficar para trás. Segurei o que pude minha esposa. Ela e outra amiga saíram correndo para alcançar a dianteira. Quando chegamos na praça da prefeitura elas quiseram tirar fotos. E convocaram a mim para ser o fotografo.

Tirei algumas fotos quando chegou uma senhora, que eu soube depois, ser Ivana Selma Dourado. É irmã de uma amiga. É por demais conhecida de muitas pessoas nesta cidade. Esta senhora, que estava no bar ali perto, veio com a velocidade que consegue e começou a gritar, empurrar, bater em Kátia, a minha esposa, e na amiga. Jogou o copo e a cerveja em Kátia. Gritava alto e constantemente. No início ela, a agressora, acusavam-nas de serem forasteiras. Dizia que por serem elas moradoras de outra cidade não poderiam estar ali tirando fotos com a bandeira do candidato da oposição.

Informação: eu nasci em Minas Gerais. Eu sou forasteiro. Mas, Kátia! Ela nasceu nesta cidade. Não há como impingir a ela o rótulo de forasteira. Nem Jussy a nossa amiga. Eu a conheço desde os nove anos de idade. Sei que nesta terra ela também nasceu e viveu até cerca de quatro anos, quando saiu para estudar em outro país. Mas, pelo menos duas vezes ao ano, aqui está.

Enquanto ela tentava impedir-nos de tirar fotos, de bater em minha esposa, bater em Jussy, jogar a cerveja e o copo em minha esposa, quis também nos amedrontar com ameaças diversas, querendo tomar-nos os aparelhos de filmagens, fotos e outros aparelhos digitais. Ao ver o espetáculo, a multidão foi formando. Jussy puxou o refrão da gozação: É desespero! É desespero! E o povão presente seguiu a gozação. Ela se enervou mais. Quis e tentou mais e mais vezes tomar a aparelhagem das pessoas ali presentes. E, não tenho dúvidas: do tanto que bateu, deve ter apanhado também.

Hoje no entanto, já corre na cidade a versão de que foi minha esposa quem foi lá na praça espancar esta senhora. Que mentira deslavada. Mas, é assim mesmo. O PT é assim em Irecê como é o PT noutros lugares deste país. Ela saiu lá do bar onde estava bebendo, sabe-la com quem, deixou sua mesa no bar, deixou os seus pares lá, e veio para frente da prefeitura bater, espancar, ameaçar, gritar, ofender, etc e agora querem ser também a VÍTIMA!

Aqui não senhora Ivana Selma. A senhora[bb]não vai bater em minha esposa, bater em minha amiga, ser a senhora a causadora do destrambelho, ser a ré, e agora, querer RECONTAR[bb]a história sendo você a vítima? Não! Isto a senhora não vai conseguir não.

Eu estava lá e vi quando começou[bb], quem começou, e porque começou. Não adianta a senhora arregimentar os subalternos do poder para querer mudar os fatos ocorridos.

[lomadeewpro category=’3671′ keywords=’brastemp, consul, lava roupas, lavadoras’]

Diferenças entre inteligentes e ignorantes com iniciativas!

Não é um texto inédito. Eu já o havia recebido antes. Mas, esta versão do texto foi ligeiramente modificado para as eleições municipais que ocorrerão daqui a alguns dias. Eu reproduzo abaixo.

Dizem que Napoleão Bonaparte classificava seus soldados em quatro tipos:

  1. Os inteligentes com iniciativa;
  2. Os inteligentes sem iniciativa;
  3. Os ignorantes sem iniciativa e
  4. Os ignorantes com iniciativa.
  • Aos inteligentes com iniciativa, Napoleão dava as funções de comandantes gerais … estrategistas.
  • Os inteligentes[bb]sem iniciativa, Napoleão deixava-os como oficiais para receberem ordens superiores … para cumpri-las com diligência.
  • Os ignorantes sem iniciativa, Napoleão os colocava na frente da batalha[bb]buchas[bb]de canhão, como dizemos.
  • Os ignorantes com iniciativa[bb], Napoleão os odiava e não os queria em seus exércitos.

 

  1. Um ignorante com iniciativa é capaz de fazer besteiras enormes e depois dissimuladamente, tentar ocultá-las.
  2. Um ignorante com iniciativa faz o que não deve, fala o que não deve, até envolve-se com quem não deve e depois diz que não sabia.
  3. Um ignorante com iniciativa faz perder boas ideias, bons projetos, bons clientes, bons fornecedores, bons homens públicos.
  4. Um ignorante com iniciativa produz sem qualidade, porque resolve alterar processos definidos e consagrados.
  5. Um ignorante com iniciativa é, portanto, um grande risco para o desenvolvimento e o progresso de qualquer empresa e governo.
Não precisamos deles, nem Napoleão os queria. Você identifica em sua vida, em sua empresa e no governo os quatro tipos de soldados de Napoleão? E o que faz com cada tipo?

Você sabe livrar-se dos ignorantes com iniciativa? Faltam meses para as eleições municipais!

Este é o momento certo de aprender a fazer tais diferenças.

[lomadeewpro category=’3482′ keywords=’politica, tucanos, petralhas, partidos, eleições’]

O que há por trás dos assassinos modernos; ou APOLOGIA AOS VILÕES!

Esta semana é da estreia do novo filme do Batman dirigido por Nolan, estrelado por Bale e outros bons atores e atrizes. Até o filme passado, em minha opinião, esta é a melhor história do Homem Morcego no cinema e na televisão. As outros foram sofríveis e serviram mais para manchar as histórias do Batman do que enaltecê-las.

Os dois primeiros: Batman Begin, e o Cavaleiro das Trevas foram muito bem feitos, bem dirigidos e bem construído em histórias, personagens, equipes e aceitação. O ressurgimento foi aguardado e agora que chegou o tão esperado lançamento, a chamada pré-estreia, vem esta notícia de que um atirador solitário invadiu o cinema, atirou, matou, barbarizou, horrorizou a comunidade Aurora, no Colorado. A internet está cheia sobre a notícia.

Eu penso que o evento – assassinato das pessoas no cinema -na pré-estreia do filme não tem ligação com a ação existente no filme, nem da maldade retratada nos vilões, mas, certamente vai aparecer especialistas em comportamento humano, em sociedade pós-guerra, na comunidade globalizada, e irão criar uma ligação, encontrar um elo, achar um resquício para dizer que os vilões, as cenas de violência no filme foi o que impulsionou o jovem a agir da maneira que agiu.

Menos especialistas. Menos! Achem outra relação social; encontre ai na comunidade regional para estudar o que é que tem feito estas pessoas agirem assim, afinal, Aurora, não é tão longe de Colombine onde aconteceu evento semelhante em 1999.

O perfil dos atiradores confunde os especialistas, ou então, os especialistas estão, sabe-se lá porque, ocultando a verdade de nós todos. O que tenho visto nestes assassinos modernos é um perfil incomum: desejos assassinos, pessoas que independentemente de influências externas, tem o desejo de matar, aniquilar, horrorizar, ficar na história como são: assassinos, ruins, malvados, criminosos, e o pior, com acesso a todo tipo de meios para realizarem suas sanhas assassinas.

São jovens que estudam, estão socialmente incluídos, participam de igrejas, escolas, reuniões. Conversam com pastores, professores, pais, amigos, autoridades e conseguem, pois são inteligentes e sabem como camuflar suas ideias e vontades, suas verdadeiras intenções. São pessoas perigosas e estão entre nós, e convivendo com nossos filhos.

Na atual situação, tenho é temor de que meu filho seja um destas criaturas; como é que poderemos ter certeza? Eu já não mais tenho estas certezas. Fui educado e aprendi que a educação, o exemplo, a vida em comunidade, os valores morais, os valores éticos, os valores espirituais, religiosos, os princípios e nortes dos direitos e dos deveres eram capazes de transformar-nos em pessoas melhores.

Estes assassinos que tem surgido nas últimas décadas tem provocado em mim estes questionamentos. O que é que está fora dos trilhos? O que é que está transformando estas pessoas instruídas, educadas, protegidas pelas leis da democracia agirem tal qual os homens bombas? O que é que está levando estas pessoas, aparentemente normais, explodirem em ódio, rancor, atrocidades, delinquência, assassinatos, destruição?

Não foi o filme do Batman: O cavaleiro das trevas ressurge! E por que digo que não? Enquanto o filme estava sendo produzido, o James Holmes estava montando seu arsenal; enquanto atores e atrizes estavam nos sets de filmagens, James Holmes estava comprando armas, estocando munição. Certamente há algo de errado em nosso meio. E não é o trabalho artistico cinematográfico em retratar esta realidade; será o cinema quem impulsina o mal, ou é a arte cinematográfica quem retrata a maldade existente?

Alguns veem um conjunto de erros tais como: filhos abandonados em casas com TV, acesso a internet, diversão constante, pais sem interação com os filhos, liberdade, falta de diálogo, falta de exemplos morais, leis frouxas e de proteção aos menores e não de controle social; alguns especialistas veem até a música que se ouve como integrante da formação destes assassinos; certamente, algum dia quem sabe, a posição de sentar no vaso sanitário também terá sua contribuição para a formação assassinica dos tais.

Pode ser que sim? Pode! Mas, e como explicar por exemplo[bb], pessoas do passado que agiram semelhantemente, e não tinham, videogames, não tinham cinema[bb], não tinham TV[bb], tinha uma educação rígida[bb], tinha controle social, educação moral[bb], ética, religiosa… e mesmo assim, agiram de forma assassina, destruidora, massacrante?

Quantos milhões de humanos estamos sob a mesma influência, meio, condições e não agimos tal qual a eles? Como e por que tais mentes se sentem superiores a ponto de quererem promover a seleção natural, agirem como os deuses antigos das mais diversas mitologias: matando, exterminando, extirpando a bel-prazer; deuses que eles mesmo condenam e dizem não existir.

O que existe, e que é subestimado por esta cultura atual, é a entidade do MAL. Existe “algo invisível” a nós, e que age, nestas mentes fracas. Existe “um ser malévolo”, maquinando e agindo entre nós. Existe o mal, não uma generalidade, não uma ficção, não uma imaginação, existe como uma persona, uma essência, uma energia. É este mal que age com estas pessoas; e contra este tipo de mal, a educação moral, ética, cientifica não tem poder, e pelo visto, nem também as forças humanas tem conseguido.

Como é que iremos resolver estas questões? Como é que iremos lutar e convencer e vencer estas mentes e estas entidades que conseguem fazer estes jovens viverem e agirem como estão agindo? Espero que encontremos uma solução, pois, ou estamos à mercê destas criaturas, ou, estaremos entre as vítimas deles, e penso, ser pior tanto quanto: sermos pais e mães de tais criaturas.

Eu observo que já existe nas comunidades, nas redes sociais, o que eu denominei de APOLOGIA AOS VILÕES. É mais fácil encontrar comunidades de admiradores do Coringa do que do Batman; é mais fácil encontrar gente dizendo que ama o Lex Luthor do que o Super-man; é mais fácil encontrar pessoas repetindo as gozações e palavras do Duende Verde do que do Homem Aranha; e por ai vai!

Uma vez eu criei uma ligação com o Lex Luthor, e foi ai, que eu passei a questionar esta cultura, esta apologia aos vilões, e mudei de ideia e de comportamento. Isto não é uma atitude sã, de uma mente saudável. E é esta sociedade que estamos vendo aqui, ali, lá e acolá; tem-se “achado” isto muito normal, quando normal, não é!

  • Como é que se ama, adora, é fã de uma criatura como o Coringa? Que nas HQs é uma criatura perversa, má, descontrolada, assassina, psicopata?
  • Como é que se ama, adora uma personagem como Lex Luthor, que por amor e desejo de poder matou o pai, que financia o terrorismo, faz parte da liga do mal, para ser contra a Liga da Justiça?
  • Como é que se quer um mundo melhor amando os vilões e bandidos?

Mas, esta é outra banda desta situação. Uma situação aponta para uma doença: amor ao mal; a outra aponta para uma realidade ignorada: o mal existe e opera de forma diferente entre nós. Uns acham a maldade dos vilões bonita; e outros a praticam para serem iguais aos mesmos, para espanto de todos nós. Depois do mal ocorrido, tudo está ligado ao fato. Veja esta descrição abaixo:

Sou um reclamão que escreve sobre tudo; o que vejo, o que leio, o ouço e o que assista, rock,  MPB,  quadrinhos, biblia, programação, internet, revistas, jornais, sites, blogs e também:alguns poetas. Leio e escrevo demais. Woody, C. Nolan, Scorcesse, Bergman, Hitchcock e  Welles. Assisto séries desde a década de 90: Gosto de Arquivo X, 24 Horas, Lost, SobreNatural, Grimm, CSI, Bones, Fringie; No mundo dos  games: Quake, Half Life, Doom, Wolfstein, … por ai,

Porque o espanto? Isto, também é uma lista de um psicotico que a qualquer momento pode sair por ai atirando nas pessoas. Mas, por enquanto, falta cartão de crédito e dinheiro para comprar meu arsenal; Estamos todos na lista do mal.

[lomadeewpro category=’2852′ keywords=’SmartTV, Sony, Samsung, LG, Semptoshiba’]

Estou testando o Office 15 Preview!

[lomadeewpro category=’3482′ keywords=’Office, word, excel, powerpoint, concurso público’]

Meu computador de mesa, o desktop que uso, é neste momento um laboratório de produtos Microsoft. Desde que foi disponibilizado as versões de teste do Windows 8 que estou usando o mesmo. E hoje, instalei o Microsoft Office 15.

Depois de instalado ele tomou conta de todas as associações do Office 14 e gerencia todas os arquivos da suíte.

Minimalista

Uma das primeira mudanças é visual, pois, os ícones estão diferentes. Veja ao lado cada ícone na versão 14 e na versão 15, que é chamada de Office 2013.

Cada ícone ganhou um contorno com a cor predominante de sua versão anterior.

Analise do Word 13 Preview

O Office 15 está mais pálido e se pode configurar um plano de fundo para o ambiente. Os ícones das faixas de opções estão minimizados, e são mais linhas do que detalhes e coloridos. Veja abaixo.

Estes traços e linhas adotada no Office 15 ou Office 2013 segue a tendência e mudanças vistas também nos ícones e linhas do Windows 8. Herda a conexão com o Windows Live, e com isto também suas conexões realizadas no serviço: facebook e linkdin, msn, youtube e flickrs. Tudo nas nuvens; windows 8 e Office 15.

Dicionário e Ortografia.

A versão que fiz download está em Inglês, no entanto, o dicionário português-BR pode ser baixado e instalado diretamente no software. O recurso de gramatica ainda não está implementado para o Português, ao menos, não funcionou no testes que fiz. Há correções ortográficas sim. Até sugestão de trocar algumas palavras por outras. Não corregiu erros de plural, por exemplo.

Novidades: Algumas novidades da versão 15 estão relacionados mesmo à nuvem, a começar com o salvar e o abrir. Ao clicar em Salvar ou Salvar como, você tem as opções: No computador local, no Skydrive e no Office365 Sharepoint. Tem também, repetindo já a fórmula anterior, conexão com serviços de publicação de imagens como o Flickrs e de video: o youtube.

Inserir: entre as opções de Inserção, algumas e ótimas novidades. Por exemplo a inserção de imagens tem novas opções: Office Clipart, Pesquisa do Bing e imagens de sua conta no Skydrive.

ScreenShot: A funcionalidade[bb]de capturar tela que já havia aparecido no Windows 7 e 8 agora também presente no Office 15. Funciona igual ao demais com a diferença[bb]que a tela capturada é inserida no seu texto. Além do Word, também vi no Excel e no PowerPoint.

App for Office: Ainda não tem muito, só vi alguns, e sendo a maioria dicionários; no entanto, já fica evidente que haverá um canal para a aquisição de aplicativos para o Office 15. Evidente que estes aplicativos em sua maioria necessitam de conexão com a Web e, óbvio, não tem aplicativos em português Brasil.

Algumas promessas de aplicativos[bb]estão voltadas para empresas, instituições e alguns nichos especificos[bb]. Como por exemplo: Factiva. O aplicativo da Enciclopédia Britânica chega tarde, afinal, já foi noticiado a descontinuação desta obra.

Estas observações tiveram como base os programas[bb]Word, Excel e PowerPoint. Não usei o Access, nem o Outlook que merecerão analises separadas.

Dilma, o PIB e as crianças e o salário mínimo!

[lomadeewpro category=’3673′ keywords=’brastemp, consul, roupas, agasalhos’]

Andei lendo por ai que a presidente Dilma disse o seguinte:

Uma grande nação deve ser medida por aquilo que faz pelas suas crianças e seus adolescentes. Não é o Produto Interno Bruto, é a capacidade de o país, do governo e da sociedade, de proteger o que é o seu presente e o seu futuro, que são suas crianças e seus adolescentes.

Não me surpreende em nada. Certamente ela sabe a importância do PIB, e pensa que todos os brasileiros irão acreditar no que ela disse. Certamente a pelegada irão repetir isto a exaustão até que se torne isto uma verdade.

Eu quero é ver uma grande nação conseguir cuidar de suas crianças, jovens e adolescente com Produto Interno Bruto pífio. Sem dinheiro, não se consegue melhorar o presente e preparar o futuro das crianças, jovens e adolescente.

Se, se procurar na internet iremos encontrar comentários e risos, bem como elogios e outra opinião da presidente[bb]em relação ao PIB, aliás, “O pibão foi bom!” – Foi esta a expressão em 2010. Cuidar das crianças[bb]é, em minha opinião, usada agora por não haver alvíssaras! Ou seja, não há recompensa[bb]alguma na noticias sobre o Produto Interno Bruto, então, é melhor criar um.

Nenhuma nação com PIB pífio conseguirá cuidar de suas crianças no presente, nem tão pouco, lhes conseguirão bom futuro[bb]. Anota a dica presidente, e relembre algo mais: o salário mínimo é calculado levando em consideração o PIB de dois anos antes e a inflação do ano anterior, ou seja, daqui a dois anos, se saberá o estrago para os trabalhadores do PIB pífio agora. E por tabela, afetará as crianças.