O mundo problematizado

O mundo atual, virtualizado, conectado, globalizado,   (Civilizados, criminalizados, banalizado, inferiorizado e tantos outros “…ados” tem criado uma série de problemas para se consertar.

Eu, por minha vez, sou acionado para resolver os mais inusitados problemas. Alguns nem tem nada com o ramo da informática, mas, tenho visto aparecer uma lenda nos meio popular:

– Quem sabe informática, sabe tudo!

Vocês não imaginam a quantidade de ligações que recebo de pessoas que querem que eu vá resolver.

– Você entende de parabólicas?

– Você sabe como funciona a programação de DVD?

– Como uso o controle remoto?

Semana passada, tive que atender uma cliente, que estava tendo problemas com o e-mail do IG. E o suporte técnico do IG, orientou-a de uma forma inusitada. Fui acionado. Ao chegar, ela me informou que o problema era simples:

– Eu não consigo entrar no meu e-mail do IG, e tenho que receber os e-mails e responder. Estou esperando um, em especial que é super importante.

Sentei-me e comecei a buscar soluções. Fiz algumas perguntas. Indaguei sobre dias, horas, etc e tal. Um sujeito que estava lá no escritório admirou-se e fez o seguinte comentário:

– Até parece uma consulta médica!

O problema era muito simples, porém, foi demorado para compreender e entender aonde estava o erro.

No momento em que ela foi cadastrar a senha, ela digitou 14 digitos. No entanto as senhas do IG, tem tamanho mínimo de 6 dígitos e máximo de 12 dígitos. O problema apareceu, quando ela, chegava à página de Login do IG, a página aceita os 14 dígitos.

E como descobrir?

Tentei refazer a utilização que ela fez do PC nos dois últimos dias. Com as perguntas que havia feito no inicio, pude refazer parte das atividades dela, e quando fui recadastrar a senha, percebi a diferença dos campos.

Perguntei-a a senha que estava usando, e comparei com o tamanho do campo. Foi batata. Porém, não rápido. Demorei, mais de noventa minutos.

Por isto, hoje, ao acompanhar as noticias da reconstituição da morte de Isabela Nardoni, sei das complicações e da complexidade que é fazer um levantamento da magnitude que foi este.

Com a situação atual do mundo, é verdade também, que as pessoas em sua maioria, estão perdendo a capacidade de solucionar pequenos problemas do cotidiano.

Blogagem Coletiva “Abre Aspas”

A blogagem coletiva, proposta pela Lunna, do Blog Acqua solicita que todo blogueiro escolha um poeta, poetisa e dentre a obra do escolhido, postar um texto, e fazer uma breve descrição do poeta, ou poetisa.

CONFISSÃO 

Tenho pensado em ti
A cada minuto

Desde nascer do dia
Até o anoitecer!

Tenho pensado em ti
A cada pingo de chuva

Que bate em minha janela…
A cada toque do sol
Em minha pele.
Tenho pensado em ti

Quando a brisa beija o meu rosto
E traz consigo o teu perfume de jasmim!
Mas quando tu chegas

E eu não te vejo
Morro nessa incessante espera
De te encontrar.

A impossibilidade de
Desvendar os segredos de tua alma
Tocar o teu corpo

E matar a minha sede de querer
Faz de mim
Um rei sem trono
Um nobre descalço
Um pássaro cativo…

Ah! Como queria que fosse minha!
Assim transformarias o meu reino
No tesouro mais cobiçado
E invejado pelos deuses.

Eu beijaria o chão que pisas
Se assim me pedisse…
Alisaria os teus cabelos
Até adormeceres.
Buscaria uma estrela
E a colocaria em seu colar.

Mas não aceitaria
Ficar um dia sequer
Sem a tua presença
Sem olhar os teus olhos
Sem beijar a tua boca
E sem tocar o teu corpo.

Porque tê-la perto e
Ao mesmo tempo longe
Roubaria as minhas forças
E eu morreria a cada segundo.

Autora: Cármen Neves
Blog: Só Para Dizer que Tenho um Blog

Cármen Neves nasceu em Porto Alegre RS, mas mora em Criciúma SC, desde 1972. Adora a vida! Odeia a guerra e a maldade.

Gosta de: conversar, pintar telas, bordar ponto cruz, viajar, dançar… e escrever. Tem quatro livros editados.

  1. Pensando em ti 
  2. A Magia do Farol
  3. Castelo dos Desejos.

Para setembro de 2008, pretende lançar o quarto livro, Pensando em ti II.

Participação em algumas antologias

 

Impulsionados ao erro

Foram obtusos 

Há pelo menos um ano estive visitando uma fazenda. Lá eles produzem diversos produtos derivados do leite. E, minha tarefa era simples, instalar um software e configurá-lo na rede.

A surpresa nos apareceu um mês depois, quando o software deixou de funcionar na máquina cliente. Orientei a proprietária e administradora a ligar para a empresa e fazer a reclamação.

A empresa apenas alegou que ela só poderia utilizar o programa em um só computador. Se ela quisesse usar em dois computadores, ainda que o outros fosse pela rede, deveria pagar mais R$ 785,00 (setecentos e oitenta e cinco reais) pela licença do software.

Ela me chamou, pagou R$ 40,00 por uma chave de registro que a cada 30 dias remove a limitação no registro do sistema.

Foram legais e compreensivos

Mês passado, precisei voltar na empresa para uma necessidade especial. Ela precisava de uma listagem dos fornecedores de leite para apresentar à vigilância. E não é que o programa não tinha como fazer uma listagem?

Entraram em contato, e novamente, vieram pedir mais alguma grana. Logo depois, eu liguei, conversei com uma jovem senhora, que na surdina, me disse a senha de acesso ao MDB. Isto, permitiu acessar as tabelas do bando de dados e assim puder construir uma simples consulta na tabela produtores.

Complicações burocráticas! 

Esta semana, quando levei Kátia ao Ortô, havia um problema na clinica com o sistema do Planserv. Um caso simples, que poderia ser resolvido por telefone, por mensagens instantâneas ou e-mail.

Mas, sempre tem aquela pessoa que tá aqui, com a chata missão de tornar tudo muito mais complicado, chato, e que gera em nós aquele desejo de vingança, coisa-mal-feita, perversidade, etc.

A secretária não lembrava da senha de acesso ao sistema, e a senha era gravado num bando de dados Access. Ela porem me disse ao telefone:

– ô querido, eu não posso te fornecer esta senha. O gerente de informática não abre mão desta segurança.

– Sim! E o que faço ?

– Envie o MDB para mim que eu devolvo rapidinho para você com uma nova senha gravada.

– Não tenho tempo de enviar e esperar!

– Então, não posso fazer nada! Vou conversar com o gerente do setor, depois te retorno.

Fui a mamãe NET, e fui ao filho dedicado GOOGLE, e procurei por algum software que me revelasse a senha de MDB do Access, e encontrei este software:

Security Software Password Access Recovery Ele revela a senha de bases de dados cada MDB protegido por senha que foi criado através do Access 95, 97, 2000 e XP.

Outro software e gratuíto que pude testar foi este aqui: Access PassView Uma mão na roda. Revelou-me a senha do MDB em poucos menos de um minuto. Logo mais ela ligou, e eu a despachei.

– Obrigado! Não precisa, já descobrir a senha do MDB, já abrir, já vi a senha, e o sistema já está funcionando!

– Como?

– Se eu te contar você fica sabendo! Thau!

Mas, o sistema é assim mesmo, sempre nos impulsiona ao erro. Não há galardão para os trabalhadores, mas, para os desempregados, há bolsas, auxilios, incentivos.

Aos estudantes, aos policiais, aos servidores, e outros demais trabalhadores, nos cabe tão somente resistir também, o lado negro da força que sempre nos atrai!